Você viu?

Após três meses 'preso' em reality show chinês, russo é eliminado na final

Ivanov se dizia arrependido da disputa, mas público não votava para a sua saída

O russo Vladislav Ivanov, 27, participou de reality show chinês - Reprodução/ Tencent/WeTV
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Após três meses "preso" em um reality show chinês em que não desejava estar, o russo Vladislav Ivanov, 27, conseguiu ser eliminado no último sábado (24), já na final da competição. Segundo o The Guardian, ele se arrependeu de participar do programa Produce Camp 2021, da TV chinesa, logo após ingressar na disputa.

O problema é que se ele desistisse da competição teria que arcar com uma multa por quebra de contrato. Desta forma, a estratégia dele foi implorar aos telespectadores que o eliminassem, além de ir mal nas dinâmicas de propósito para não ser bem avaliado pelos jurados.

No reality, jovens artistas disputam uns contra os outros. Um dos objetivos é formar uma boyband com 11 integrantes escolhidos pelo público.

"Por favor, não me faça ir para as finais, estou cansado", disse ele no episódio posterior ao que cantou a sua primeira música, um rap russo. A estratégia, porém, não funcionou. Ivanov, que usava o nome artístico Lelush, permaneceu no reality por dez episódios, em um total de três meses.

Ao chegar à final, ele comeu um limão em frente às câmeras e pediu, mais uma vez, que o público deixasse ele ir embora. "Não estou brincando", afirmou.

Ivanov atuava como tradutor no programa quando, segundo o The Guardian, os produtores notaram a sua boa aparência e pediram que ele se inscrevesse como um dos concorrentes. O russo afirmou que perguntaram "se ele gostaria de tentar uma nova vida". Ele concordou, mas logo se arrependeu.

Ivanov foi eliminado só no episódio final. "Estou finalmente saindo do trabalho", postou ele em sua conta no Weibo (o Twitter chinês) no domingo (25).

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem