Você viu?

Record é condenada a pagar R$ 2 milhões por pintar arte rupestre em Diamantina

Durante gravações de 'Rei Davi', emissora cobriu pinturas pré-históricas com tinta branca

Área marcada mostra pintura que encobriu arte rupestre
Área marcada mostra pintura que encobriu arte rupestre - DIVULGAÇÃO/MPMG
São Paulo

A Rede Record foi condenada em segunda instância pela Justiça de Minas Gerais a pagar R$ 2 milhões de indenização por cobrir uma pintura rupestre com tinta branca, de acordo com o jornal El País. A pintura foi realizada durante gravações da série "Rei Davi" (2012), na Serra do Pasmar, região próxima à Diamantina, em Minas Gerais.

A arte pré-histórica data cerca de 4.000 anos atrás. A descoberta foi feita após divulgação de um relatório de análises químicas do sítio arqueológico, que mostrou a presença de tinta branca vinílica na área de patrimônio cultural utilizada para as filmagens.

Em sua defesa apresentada em juízo, a emissora negou que seja possível relacionar a tinta com sua presença no local, uma vez que a prova pericial foi realizada 19 meses após o encerramento das gravações de "Rei Davi". A Record citou, ainda, os benefícios que as gravações geraram no turismo da região e destacou que não havia registro de que o lugar era sítio arqueológico ou área de preservação

O potencial arqueológico da Serra do Pasmar é considerado alto e a região é alvo de estudos, já que indícios de civilização datam até 11 mil anos atrás. 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem