Você viu?

Carteiro é preso na Itália com 400 kg de correspondência nunca entregue

Em protesto ao salário baixo, o funcionário ficou três anos sem entregar nenhuma carta

Divulgação

São Paulo

Um ex-funcionário do serviço de correspondência italiano foi preso após a polícia encontrar em sua casa cerca de 400 kg de cartas não entregues.

O antigo carteiro, que pediu demissão em 2017, afirmou que ficou três anos sem entregar nenhuma carta em protesto ao seu salário, que considera insuficiente. As informações são do jornal The Guardian.

Segundo a polícia italiana, o suspeito, de 33 anos, foi parado em uma blitz de rotina e encontrado com uma faca e 70 cartas dentro do carro.

A polícia então decidiu investigar a casa do carteiro, onde encontrou 40 caixas de correspondência acumulada, incluindo extratos bancários, contas e cartas particulares.

"Eu não era pago o suficiente, por isso fiquei os últimos três anos sem entregar nenhuma carta", justificou o ex-funcionário. Ele agora responde pelas acusações de roubo, apropriação indevida de correspondência e porte de arma branca.

OUTROS CASOS

Segundo a publicação, o serviço de correspondência da Itália não é considerado muito confiável e esse não é o primeiro caso do tipo. 

Em janeiro, um homem de 56 anos foi preso em Vicenza, no norte do país, após a polícia encontrar 500 kg de cartas não entregues escondidas em sua garagem. As cartas datavam desde 2010 e continham material como contas e panfletos eleitorais. O correio fez questão de entregar as correspondências atrasadas.

Em 2013, um carteiro na Sardenha foi encontrado com quatro anos de correspondência acumulada, somando também 400 kg.

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem