Você viu?

Americana viraliza com campanha após bebê com síndrome de Down ser recusado em agência de modelos

A americana Meagan Nash não gostou nada da resposta que recebeu de uma agência ao enviar três fotos do filho, Asher, de um ano e meio, candidatando-o ao posto de modelo de uma grife.

Na troca de e-mails com uma agência localizada no Estado americano da Geórgia, ela perguntou se as fotos do filho, que tem síndrome de Down, haviam sido enviadas para a grife e recebeu como resposta que a empresa "não tinha especificado que queria um bebê com necessidades especiais".

Revoltada, Nash continuou a conversa com a agência, que acabou voltando atrás e repassando as fotos da criança para a empresa.

"Meu primeiro pensamento foi como a agência sabia que a grife não queria uma criança com necessidades especiais sem antes terem visto as fotos do meu filho", declarou à versão americana do site Huffington Post.

Apesar de a polêmica com a agência ter sido resolvida, Nash não parou por aí. Ela fez uma publicação na página "Changing the Face of Beauty" (Mudando o Rosto da Beleza, em inglês) do Facebook, que acabou compartilhada em outros perfis da rede, pedindo uma maior inclusão para crianças com síndrome de Down no mundo da moda.

Os posts viralizaram —foram compartilhados mais de 98 mil vezes— fazendo com que a grife Cartier —a empresa que buscava bebês— entrasse em contato com Nash e combinasse de conhecer ela e o filho.

Para a americana, esse é só mais um passo para tentar tornar o mundo da moda mais aberto a outros padrões de beleza. "Quero que as pessoas percebam que todas as crianças com síndrome de Down e outras deficiências são ser humanos incríveis", disse ao "Huffington Post".



Asher Nash
A americana Meagan Nash teve o filho, Asher, recusado em uma agência de modelos por ele ter síndrome de Down - Reprodução/Facebook/kidswithdownsyndrome


Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias