BBB21

Karol Conká vive novo BBB com documentário sobre vida pós-cancelamento

'A Vida Depois do Tombo' estreia na quinta-feira (29) na Globoplay

A Vida Depois do Tombo - Karol Conká
Karol Conká em 'A Vida Depois do Tombo' - Reprodução
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Karol Conká, 34, adotou o silêncio nas redes sociais desde que foi eliminada da 21ª edição do Big Brother Brasil (Globo) no dia 23 de fevereiro. Também não deu entrevistas nem fez aparições públicas a não ser as que já estavam estipuladas no contrato com a emissora.

De la para cá, no entanto, ela embarcou em um novo reality show. Uma equipe acompanhou os passos da cantora após ela ser eliminada com 99,17% dos votos, a maior rejeição da história do programa. O resultado poderá ser visto na série documental "A Vida Depois do Tombo", que estreia na quinta-feira (29) no Globoplay.

O título é um trocadilho com o maior hit da cantora, a música "Tombei". A ideia é mostrar um pouco de como ela está se reerguendo após ser "cancelada" por causa das atitudes tomadas no reality show.

Além de refletir sobre os comportamentos que teve na "casa mais vigiada do país", Conká vai falar nos quatro episódios sobre a infância humilde em Curitiba. Uma das menções é ao alcoolismo do pai, que ela já citou nas entrevistas que deu logo após a eliminação.

Para falar sobre a produção, Conká abriu uma exceção e fez uma publicação no Twitter no último domingo (25). "Não apareci muito por aqui porque entendi que precisava me afastar um pouco das redes e cuidar de mim", explicou. "Vejo o doc como uma oportunidade, em tempos de cancelamento, de relembrar que somos muito mais complexos do que um reality show é capaz de mostrar."

De acordo com a diretora, Patrícia Carvalho, não se trata de uma obra chapa-branca, com o objetivo de limpar a barra da cantora. Muito se especulou a respeito de a Globo estar fazendo uma operação para salvar a imagem dela, que foi uma das celebridades que toparam participar do reality show neste ano.

"Ficamos 25 dias grudados na Carol, vivendo com ela", disse a diretora Patrícia Carvalho ao Fantástico (Globo). "Era muito importante a gente chegar já gravando e pegar essa mulher quando acordava, e pegar essa mulher no almoço com a família e ouvir os diálogos, porque quando você está ali com uma câmera mais escondidinha, um pouquinho mais para trás, é igual Big Brother, você de vez em quando esquece que está sendo gravada."

Mesmo assim, a diretora admitiu que a própria equipe não sabia quando a cantora estava sendo sincera ou tentando ganhá-los. "Durante o documentário, a gente ficou em dúvida muitas vezes. Isso é falso ou é verdadeiro? Ela está sentindo isso mesmo ou está me manipulando?", contou.

Carvalho afirma que a retratada não vai gostar do que verá na tela, porque ela aparece de uma forma muito mais vulnerável do que está acostumada a se deixar mostrar. Entre as cenas que o documentário vai mostrar estão as reações às mensagens de ódio e ataques a familiares da cantora gerados pela participação dela no programa.

No Domingão do Faustão, no dia 28 de abril, Conká disse se arrepender de ter entrado no BBB 21. "Eu ainda não sei o que eu fui fazer lá dentro, o que eu fiz da minha vida", disse. "Tive uma crise de ansiedade, um distúrbio, dá para perceber, estava bem diferente do que eu já apresentava aqui fora, as pessoas que trabalham comigo também não me reconheceram."

No mesmo dia, algo raro na emissora, ela também apareceu no Fantástico relembrando algumas situações de racismo pelas quais passou na infância. "Um menino no colégio falou: 'Mergulhe numa piscina de água sanitária para falar comigo'. Eu fiquei pensando: mas por quê? Aí eu vi que era porque dissolvia a cor", recordou. "Aí eu molhei o dedo e fiquei passando no braço para ver se dava algum efeito."

Na ocasião, ela falou sobre como a carreira dela seria afetada pela rejeição após o reality, mas disse que achava possível reverter a má imagem. "Quantas pessoas não passaram por essa onda de cancelamento, e as carreiras não foram canceladas", avaliou. "Agora acabou o jogo, vamos parar por aqui, deixa ela viver a vida dela. Não ameacei ninguém de morte."

Entre as principais polêmicas da conturbada passagem de Conká pelo programa está a forma agressiva como ela tratou o colega Lucas Penteado. O ator, que ela não deixou sentar à mesa com os demais, desistiu do programa após ser perseguido por ela e por outros participantes.

Também chamou a atenção uma briga com a atriz Carla Diaz, que ela acusou de estar se insinuando para Arcrebiano, com quem a cantora estava se relacionando na casa. O relacionamento não durou fora da casa.

A VIDA DEPOIS DO TOMBO

  • Quando A partir de 29 de abril
  • Onde Na Globoplay
  • Classificação 12 anos
Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem