Lumena Aleluia Divulgação

São Paulo

Quinta eliminada do Big Brother Brasil 21, Lumena Aleluia, 29, afirma "obviamente" ter chorado após sair do reality de confinamento da Globo. Mas a psicóloga e DJ não quer ficar só se lamentando sobre o que já aconteceu. Prefere, como diz, "gastar onda".

Dá risada, por exemplo, ao lembrar que foi capaz de criar o termo "deslegitimação da shippada" ao tentar defender Karol Conká, sua amiga e aliada na casa, que havia ficado com Arcrebiano e acusava Carla Diaz de ter dado em cima do educador físico.

"Pô, eu vou rir, porque é tão surreal", afirma. Em conversa com o F5, realizada por videoconferência, Lumena nem parece a mesma pessoa que causou tantas polêmicas no BBB. Visivelmente com uma expressão mais leve, a DJ diz que tem passado por um processo de autoavaliação e autocrítica.

Afirma se envergonhar e se arrepender de alguns atos, mas não de ter entrado no programa, porque teve muitos aprendizados. "Adiantei dois anos de análise com esse reality." Aliás, a psicóloga e DJ revela que precisou dobrar o tempo nas sessões de terapia e que ainda não conseguiu ver todos os vídeos em que aparece na atração. "A saúde mental não dá conta."

"Lacan está orgulhoso, que eu me autorizei a viver esse negócio", diverte-se ela ao citar na mesma frase o psicanalista francês Jacques Lacan (1901-81) e um dos muitos memes que surgiram pelo seu jeito difícil de se expressar. Ela culpa a sua "jornada" acadêmica pelo uso de palavras rebuscadas que viraram piada na internet, como fenotipicamente e itinerário.

É rindo de si mesma que Lumena tenta transformar a visão negativa que deixou ao sair do BBB em uma nova carreira: de youtuber e influenciadora digital. A ideia é fazer do limão uma limonada e até um mojito, como afirma seu assessor de imprensa, Ricardo Matéz.

Embora não tenha sido eliminada com altos índices de rejeição como Karol Conká (99,17%), Nego Di (98,76%) e Projota (91,89%), a psicóloga e DJ fez parte do chamado Gabinete do Ódio e foi uma das mais criticadas pelas ações que levaram o ator Lucas Penteado a pedir para deixar o reality. Vale ressaltar que ela disputou o Paredão com Projota, o que pode explicar a votação não ter sido tão expressiva quanto a dos outros –Lumena deixou o BBB com 61,31% dos votos.

"Eu confundi altivez com agressividade. É uma performance que eu não me orgulho. Não é a Lumena que eu gostaria de ter propagado", diz a DJ ao ser questionada sobre o seu principal choque ao se avaliar no programa.

Lumena afirma que um conjunto de fatores a levaram a isso. Mulher negra e lésbica, ​ela diz ter criado uma espécie de defesa –"um corpo denso", nas suas próprias palavras– por coisas que viveu ao longo da vida e até pelo seu trabalho como psicóloga lidando com pessoas vítimas de violência doméstica e dependentes de álcool e drogas.

Criticada por fazer uma militância equivocada de pautas importantes como contra o racismo e o machismo, a psicóloga diz ter caído em "ciladas emocionais que não soube administrar". "Deu margem, sim, a críticas, estou reavaliando, assumindo algumas coisas que eu não sei, e outras que eu estou muito disposta a aprender aqui fora."

Perguntada se já conversou com Lucas Penteado, ela afirma que está "tentando se conectar a ele", mas longe dos holofotes. "Costumo ser muito sincera com os meus arrependimentos. Não é tudo sobre expor [nas redes sociais], mas entender que tem uma importância para mim de humanizar esse pedido de desculpa. E que a gente consiga seguir com essa troca, sobre outros assuntos da vida, porque estamos no mesmo campo de vivências."

Já sobre Karol Conká, ela afirma ter entendido que a rapper está no tempo dela "de ser reorganizar." "Continuo admirando ela artisticamente. E entrego para o universo que a gente consiga se reencontrar."

Lumena dá seus pitacos sobre o BBB no Twitter e no Instagram e declara a sua torcida para Gilberto. "Tivemos momentos muito especiais, então, não me privo de dizer que a minha torcida é por ele e para que ele se reconecte. Ele é um jogador muito forte."

Ainda que não seja um fenômeno na internet como Juliette Freire, que começou o BBB com pouco mais de 4.000 seguidores e hoje soma impressionantes 16,4 milhões de fãs na rede social, Lumena também teve um crescimento, porém, menos expressivo na rede social.

Antes de ingressar no reality, ela não tinha nem 4.000 fãs. Com o início do programa, chegou a 217 mil, mas depois foi caindo. Dois dias após sair da casa, contabilizava 262 mil. Agora, três semanas depois de ser eliminada, conseguiu subir esse número para 328 mil.

O aumento é resultado de um trabalho que ela, assessorada por uma equipe, faz para mudar a imagem e lucrar como influenciadora digital, efetuando parcerias com marcas. Parte dessa proposta envolve vídeos tirando sarro de si mesma, como o que ela explica, em tom bem-humorado, o motivo de usar tantas palavras difíceis.

Em outros, ela dá dicas de maquiagem e até de como colocar os cílios postiços. Lumena admite que tinha preconceito com o universo digital. "Eu tomei um tapa na cara da vida", afirma.

"Eu não tinha muita noção do que era ser criadora de conteúdo. Pensava: 'Ah, isso é coisa de blogueira'. Ficava com vários preconceitos bizarros, e a vida foi lá e falou: 'Agora você vai ter que lidar com esse B.O., e eis que estou aqui."

Ela também pretende lançar até o final deste mês seu canal no YouTube, em que vai entrevistar pessoas e comentar a sua participação no BBB. Planeja para abril estrear um programa para a internet chamado Bloco da Lumena, uma festa online para levar um pouco de entretenimento às pessoas na quarentena.

A psicóloga afirma que entrou no reality com a proposta de mostrar a sua nova identidade profissional: DJ de pagodão. "O objetivo era pegar o prêmio e comprar um trio elétrico, fazer micareta." Ela vinha trabalhando nessa mudança de carreira por um ano, mas diz acreditar que o tempo não foi o suficiente para "mudar a chave". "Mas não deixou de ser o objetivo, porque eu não ganhei o reality", conclui.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem