A Fazenda 12

A Fazenda 12: Jojo deve vencer o reality e levar R$ 1,5 milhão

Final acontece nesta noite na sede em Itapecerica da Serra

Jojo em momento de A Fazenda - Reprodução/PlayPlus
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Se depender da vontade do leitor do F5, Jojo deverá se sagrar a campeã de A Fazenda 12 (Record). É ela quem tem o maior apelo do público, de acordo com enquete do site, para vencer a atração.

Logo atrás, em segundo lugar, vem o cantor Biel. Em comum, ambos têm o funk na veia, porém, na casa foram desafetos declarados. Não foram poucas as brigas entre eles.

Lipe e Stéfani, segundo a enquete, não têm chance de vencer.

AUDIÊNCIA E CONCORRÊNCIA

Durante a quarentena imposta pela pandemia, os realities shows tiveram excelentes índices de audiência, principalmente os de confinamento. No primeiro semestre, o Big Brother Brasil 20 (Globo) bateu recordes e terminou como a terceira edição mais vista nos últimos dez anos na Grande São Paulo. Agora, é a vez de A Fazenda 12 (Record) encerrar com a terceira maior audiência desde a estreia do formato, em 2009.

No confronto direto (às terças e quintas-feiras), a atração da Record superou a audiência da 9ª temporada do reality The Voice Brasil em nove oportunidades, mesmo número de vitória do programa comandado por Tiago Leifert. O desfecho dessa guerra de audiência se dará nesta quinta-feira (17), quando ambas as emissoras definem seus vitoriosos.

A carência de entretenimento do público durante a pandemia é um dos fatores que fez com que os índices de audiência da Record tivessem um desempenho melhor neste ano, avalia Marcos Mion, que comanda a atração desde 2018. E a emissora, diz o apresentador, apostou nisso, sem medo de enfrentar todo o protocolo exigido para evitar a contaminação pelo coronavírus.

Os 20 participantes foram pré-confinados por oito dias antes de entrarem na sede de A Fazenda, localizada em Itapecerica da Serra (Grande São Paulo). Eles também passaram por uma série de exames. Na estreia, a Record decidiu colocar a plateia dentro de bolhas espalhadas pelo cenário para recepcionar os artistas e evitar contato e possível disseminação da Covid.

“Também encaro essa repercussão como a resposta do povo brasileiro para um grupo enorme de pessoas, de profissionais da TV, que se uniu, encheu o peito de coragem e o corpo de boa vontade. E, no meio de uma pandemia, levar entretenimento para tanta gente que está em casa à noite em diferentes graus de sofrimento neste ano de 2020”.

A comemoração também se refere ao desempenho superior desta edição em comparação com a de 2019, que encerrou com a pior audiência –8 pontos de audiência da Grande São Paulo (cada ponto do Kantar Ibope equivale a cerca de 73 mil domicílios).

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem