Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Televisão

Evelyn Castro, do Porta, realiza sonho do vô em 'Quanto Mais Vida, Melhor!'

Atriz faz parte pela primeira vez do elenco fixo de uma novela

Evelyn Castro Instagram/evelyncastrooficial

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Conhecida por fazer o espectador rir nas esquetes do Porta dos Fundos, Evelyn Castro, 40, celebra o primeiro papel fixo em uma novela. Ela será Deusa, empregada na mansão da tradicional família Monteiro Bragança, de "Quanto Mais Vida, Melhor!", trama que estreia no próximo dia 22 na faixa das sete da Globo.

Há dois motivos principais para a sua satisfação. O primeiro deles é poder fazer uma homenagem ao seu avô José, que morreu aos 91 anos em janeiro deste ano e era fã de novelas. "O seu José assistia desde o Vale a Pena Ver de Novo até a trama das 23h. E eu brincava com ele: 'cara, você não enjoa disso não? E ele retrucava falando: e tu, não vai fazer isso aí não?'", relembra ela.

Evelyn afirma que foi tudo muito rápido e não deu tempo de contar para ele que, sim, ela tinha entrado para o elenco fixo de uma novela da Globo. Todo o seu trabalho como Deusa é dedicado ao avô. "Cada dia que chego no local para trabalhar, falo: 'Ó, estamos juntos, eu vou fazer aquelas palhaçadas que você falava para eu falar'. Rola uma conversa. Ele vive e vai viver para sempre dentro de mim", salienta.

O segundo motivo especial é poder mostrar para o público que ela não trabalha apenas com humor. Embora Deusa também tenha esse lado divertido que vai provocar risos, Evelyn adianta que a personagem tem outras camadas e que ela pôde trazer pitadas de drama ao desenvolvimento do papel.

"Tem toda essa questão de 'ah, você é humorista', 'ah, você é comediante'. Não, eu sou atriz e tenho oportunidade de trabalhar com humor, amo trabalhar com humor, mas sou atriz", reforça. ​

Deusa carrega um passado de violência doméstica, o que vai influenciar o relacionamento dela com Odaílson (Thardelly Lima), motorista da família Monteiro Bragança. "A mulher não está agindo de determinada forma em uma relação porque ela gosta de fazer joguinho. Não, não, é porque há toda uma questão familiar, porque tem uma questão de dor, porque tem uma questão da mulher na sociedade. Então, pude colocar essas pitadas na Deusa. Posso dizer que ela é uma colcha de retalhos feminina", afirma.

Em outros aspectos da personagem, Evelyn conta que uma das suas inspirações é a amiga Lúcia Albuquerque, camareira que ela conheceu sete anos atrás na coxia de um musical. "Ela tem essa coisa que a personagem tem: o cuidado, a segurança no que está fazendo, e a acolhida".

Outra característica de destaque da empregada, conta a atriz, é que ela fala tudo o que pensa. "E a Lúcia tem isso, essa coisa da justiça, do 'eu não vou ficar calada, porque eu tenho que falar'. E a Deusa tem muito disso, tem até um bordãozinho dela que é 'pulou da minha boca'", relata.

A personagem vai bater de frente com a vilã do seu núcleo na novela, Celina, papel de Ana Lucia Torre, que é a mãe de Guilherme, médico cardiologista interpretado por Mateus Solano, um dos quatro protagonistas que vão morrer em um acidente aéreo, mas terão uma chance de voltar à Terra, sabendo que um deles irá de fato morrer dali a um ano, o que os faz ressignificar suas vidas.

"A minha grande motivação nessa novela é poder trabalhar e mostrar todas essas camadas, espero que todo o mundo goste", conclui.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem