Televisão

'Caçadores de Relíquias' celebra 10 anos de exibição: 'Criamos uma família'

Em 63 países, série do History ganha episódios inéditos no Brasil

Cenas da série Caçadores de Relíquias Divulgação

São Paulo

A série "Caçadores de Relíquias" completa neste ano dez anos de sua estreia na América Latina, marca que seus apresentadores não imaginavam ser possível. “Sempre achei que poderia ser um sucesso nos Estados Unidos, mas nunca, em um milhão de anos, sucesso ao redor do mundo”, diz Mike Wolfe, 53.

E para celebrar, o canal History exibe episódios inéditos da 17ª temporada, desde a última segunda-feira (31), com os colecionadores Mike Wolfe, Frank Fritz e Danielle Colby buscando tesouros em ferros-velhos, garagens, porões e até celeiros que eles encontram em suas viagens pela América do Norte.

Segundo o History, a série é exibida hoje em 63 países e acompanha Wolfe e Fritz, que são uma mistura de detetives, especialistas em antiguidades e historiadores culturais. Juntos, os dois encontram as relíquias em lugares diversificados, e se conectam com colecionadores tão apaixonados quanto eles.

“Criamos uma família e compartilhamos nossa jornada com as pessoas, acredito que elas se veem em nós”, afirma Wolfe em conversa com a imprensa. Também parte das aventuras, Danielle Colby diz que o segredo do sucesso está no amor: “Amor pelo que fazemos e pelas pessoas com quem lidamos.”

Colby é responsável por cuidar da Antique Archaeology (Arqueologia Antiga, em português), negócio de Wolfe e “base de operações” da equipe em Iowa, nos EUA. Ela localiza e encomenda os tesouros que marcam a história e cultura dos EUA, e ajuda a dupla de colecionadores a se conectar com as histórias.

“Gosto de colocar as pessoas juntas, encontrar pessoas que têm as coisas e as que precisam dessas coisas”, explica Colby. Ela diz que é engraçado rever vídeos do início da série, e perceber que agora ela já tem cabelos grisalhos.

Wolfe diz que tudo o que eles passam nos episódios, desde a estreia da série, em janeiro de 2010, é verdadeiro. “O programa é realmente um reflexo de todos nós. Amamos a história, somos todos caçadores de tesouros em nossos corações e mentes, quer sejamos coletores ou não.”

Com mais de dez anos da produção, Wolfe e Colby relembram os objetos mais marcantes que já acharam. Para Wolfe, que diz adorar motos, foi uma motocicleta Royal Pioneer, fabricada em 1910, ele diz que o objeto está na sala de sua casa. “Existem apenas quatro dessas motocicletas”, ressalta ele.

Já Colby, sendo artista burlesca e uma grande admiradora de Frida Kahlo, afirma que, para ela, são marcantes “todos os objetos memoráveis do estilo burlesco”. Ela acrescenta: “Tenho dificuldade em me livrar desses objetos."

Mais do que compartilhar a paixão pelas relíquias, os apresentadores mantém uma amizade forte após anos de convivência. “Mike ainda é um dos meus melhores amigos, e isso é tão raro”, afirma Colby. Ela revelou que no início do programa sentia que não a queriam ali.

“No começo Mike me deu muito apoio”, relembra, “ele apoiava a ideia de eu estar envolvida.” Já Frank Fritz, Wolfe diz ser "um daqueles caras que levamos em uma viagem de estrada e ele conta a mesma história várias vezes, mas mesmo assim deixa tudo divertido.”

Colby afirma que se sente grata em poder ver a evolução do programa durante os anos e que, para ela, é ótimo “ver como nós crescemos, abraçamos a mudança e aprendemos”. “Pudemos construir um mundo que amamos e tivemos o apoio de todos no processo”, completou.

“Estamos todos aqui para cuidar uns dos outros, é uma bênção para mim, estar na casa das pessoas e poder tocar o coração delas, porque elas tocam o nosso coração”, completa Wolfe, que afirma se sentir sortudo de estar na produção.

Para o apresentador, a série mostra “diferentes jornadas e que não precisamos caber dentro de uma caixa para viver uma vida linda”. Os dois contam que sempre recebem relíquias, cartas e histórias de fãs de todas as idades.

“Recebemos desenhos, cartas e brinquedos de crianças, isso é o que mais toca meu coração”, adiciona Wolfe. “Os últimos anos foram alucinantes”, completa Colby. Além disso, no dia 26 de julho, a série alcança a marca de 300 episódios.

A história do 300º episódio acontecerá em Minnesota, nos EUA, onde os colecionadores irão visitar uma antiga concessionária de automóveis. Os episódios da 17ª temporada irão ao ar às segundas-feiras, às 20h30 no History. Eles também estão disponíveis no History Play.

"Caçadores de Relíquias"

  • Quando Às segundas-feiras, às 20h30
  • Onde canal History
  • Classificação 10 anos
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem