Televisão

Analista da CNN volta ao ar após se masturbar em videoconferência

Ele ficou 8 meses afastado e disse que acreditava ter desligado câmera

Jeffrey Toobin - Slaven Vlasic/AFP
Washington

Afastado da CNN por oito meses após se masturbar em uma conferência de Zoom, o analista jurídico Jeffrey Toobin, 61, voltou ao ar nesta quinta-feira (10). Na ocasião, ele estava em uma reunião com colegas da revista The New Yorker, onde também trabalha.

Toobin foi demitido da revista e estava afastado da CNN até agora. Em seu retorno, ele foi questionado sobre o assunto pela apresentadora Alisyn Camerota, 54. "Acho que precisamos abordar o que aconteceu nos meses desde que te vimos", disse ela. "No que você estava pensando?"

O analista explicou que acreditava que a câmera de seu computador estava desligada. "Eu pensei que tinha desligado o Zoom!", respondeu. "Isso não é uma defesa, foi profundamente estúpido e indefensável", continuou ele. "Sou um ser humano imperfeito que comete erros".

Toobin afirmou que passou os últimos meses "tentando ser uma pessoa melhor". "Tento me tornar o tipo de pessoa em quem os outros podem confiar novamente", disse.

Um porta-voz da CNN confirmou que ele retornará ao cargo de analista jurídico-chefe da emissora. Toobin, que já trabalhou como procurador, é também autor de vários livros.

AFP
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem