Televisão

Camila Rodrigues avalia revolta do público a seu papel em 'Gênesis' e celebra sucesso

Atriz interpreta Nadi, que tenta conquistar Terá, que é casado

Nadi (Camila Rodrigues) Divulgação/Record TV

São Paulo

Não são apenas personagens queridinhos pelo público que empolgam a atriz Camila Rodrigues, 37. Atualmente na novela “Gênesis” (Record), ela afirma estar contente com a repercussão em torno da sacerdotisa Nadi, a quem ela dá vida e tem provocado revolta dos telespectadores por suas investidas para conquistar Terá (Angelo Paes Leme), que é casado.

Segundo a atriz, sua personagem é enigmática e deve provocar muita confusão e conflito por causa do triângulo amoroso que forma com ele e Amat (Branca Messina). "Ela quer casar e ter família com esse homem", resume ela. "Mas Terá é casado e leal à mulher. Os dois são pessoas devotas a Deus e têm fidelidade. Por isso que Nadi tem gerado revolta do público", avalia.

Nos próximos capítulos, Nadi vai planejar se casar com Terá e entrará em rota de colisão com a esposa do comerciante. Já Terá gostará da nova vida que leva, cheia de dinheiro e sucesso, o que causará brigas com a esposa. Camila gravou cerca de 30 capítulos e aparecerá em toda a fase Ur dos Caldeus até os 50 anos. Depois, Esther Góes a substituirá para mostrar a trajetória de Nadi mais velha.

"Já a relação de Nadi com rei Ibbi-Sim [Felipe Roque] continuará diferente", afirma a atriz. "Ele não vai querer papo, já que ela tramou contra ele”, continua ela, se referindo ao casamento de sua personagem com o rei, que acabou boicotado, e ele, envenenado.

Apesar de a atriz já ter feito outras novelas bíblicas na Record, “Gênesis” tem sido mais intenso, afirma ela. “Quando fiz ‘Os Dez Mandamentos’ [2015] foi um sucesso na Argentina e no Chile. Mas agora eu fiz chamadas até para o Japão. Legal ver como conseguimos entrar em países que têm culturas diferentes”, celebra.

No ar há cerca de um mês e meio, “Gênesis” tem conquistado números de destaque no que diz respeito à audiência, além de ser a atração mais seguida das redes sociais no mundo. Apenas no primeiro mês, a média nacional da trama ficou em torno dos 15 pontos, o que assegura a segunda posição no horário em todo o país --atrás apenas da Globo.

A superprodução é considerada, até agora, a novela bíblica com maior audiência da história da Record, tanto no mercado nacional quanto em São Paulo. A novela "Os Dez Mandamentos" (2015) também começou bem, mas não atingiu essa marca. A média geral dos primeiros episódios era de pouco mais de 13 pontos.

“É uma história mundial e universal. Não li a Bíblia, sempre achei muito difícil, mas conheço as histórias. Então, quando você faz um trabalho desses você vê a verdadeira história. Fico feliz em fazer parte de uma superprodução”, afirma Rodrigues, que se preparou para o papel com muita leitura e troca de experiências com outros atores.

A atriz também é só elogios ao texto de Camilo Pellegrini, Raphaela Castro e Stephanie Ribeiro. “Como o texto é muito bom, já vem muito da personalidade da personagem nas ações. Cabe ao ator ter a percepção de saber o que pode acrescentar. O desafio maior de Nadi é condensar seus sentimentos”, explica a atriz.

Apesar de empolgada com o sucesso de "Gênesis" e com a complexidade de sua personagem, Camila Rodrigues não temo novos projetos em andamento. “Precisamos da vacina”, resume ela.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem