Televisão

Globo se diz enganada por Bianca Andrade e pede R$ 500 mil por quebra de contrato

Emissora tinha exclusividade, mas ela havia gravado outro programa

Bianca no BBB 20
Bianca Andrade enquanto participante do BBB 20 - Globo TV/ Reprodução
São Paulo

A Globo entrou na Justiça e agora processa a ex-BBB e influenciadora digital Bianca Andrade, a Boca Rosa. O problema teria sido uma quebra de contrato de exclusividade com a emissora. Para entrar no BBB 20 ela não avisou que também havia gravado participação em um outro reality show. O valor estipulado é de R$ 500 mil.

De acordo com informações do site Notícias da TV, Bianca Andrade omitiu que havia gravado cenas do reality de pegação do Prime Video Soltos em Floripa. Ela deveria ser exclusividade dos programas da emissora até o final de abril, mas a confirmação de que Bianca seria a apresentadora e comentarista do programa concorrente aconteceu em 5 de março, dez dias após a eliminação dela do BBB 20.

Um dos trechos do documento conseguido pelo Notícias da TV diz que “alguns dias após a eliminação, quando a ré [Bianca] ainda se encontrava obrigada a cumprir obrigações contratuais com a Globo, como a participação em programas, entrevistas, ensaios fotográficos, a autora [Globo] teve ciência acerca de grave violação pela influencer das cláusulas contratuais de exclusividade pactuadas pelas partes”.

Os advogados da Globo alegam em outro trecho do processo que Bianca teria tido dolo em não avisar, ou seja, teria enganado a emissora e não apenas se esquecido deste detalhe.

A ação ainda aponta que Bianca teria usado de sua exposição no BBB 20 para triplicar as vendas dos produtos de sua marca própria.

Procurada, a Globo afirma que não comenta ações na Justiça. Já Bianca afirmou por meio de sua assessoria que “todas as questões jurídicas e legais envolvendo a Rede Globo estão sendo resolvidas e que a artista está comprometida em fornecer as informações necessárias para deixar claro qualquer mal-entendido com a emissora”.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem