Televisão

Dalton Vigh sobre estar no ar em três novelas: 'Brinco que estou todo exibidão'

Ator diz que perfeccionismo o impende de ver reprise de 'Fina Estampa'

Dalton Vigh Divulgação

São Paulo

No ar em três novelas, a principal delas a reprise de "Fina Estampa" (Globo), em horário nobre, Dalton Vigh, 55, diz que o seu perfeccionismo o impede de acompanhar a trama. "Não estou nas redes sociais, mas na televisão estou em todos os lugares", diz o ator, em tom de brincadeira, em entrevista por telefone ao F5.

"É uma oportunidade de ter um certo saudosísmo, de lembrar de situações engraçadas que aconteciam durante a cena. Neste momento eu esqueço de ser muito autocritico e procurar os defeitos", diz Vigh, que afirma ser exigente consigo mesmo.

Além da questão pessoal, Vigh conta que não costuma lembrar de ligar a TV para assistir todos os dias. "É bem no horário em que as crianças vão dormir. Esses dias eu lembrei de assistir, e também lembrei de assistir 'O Clone' [no canal Viva]", diz o ator que está em casa com a família em meio à quarentena. "Sou de uma época em que não existia essa coisa de série, continuidade. Tenho problema em ver coisas em capiítulos, gosto de filme, peça de teatro. Que começa e acaba", completa.

Ainda com bom humor, Dalton Vigh revela o que tem dito para os amigos e familiares que comentam o fato de ele estar no ar em três novelas diferentes –duas reprises, "Fina Estampa" (Globo, 2011-2012) e "O Clone" (Globo, 2011-2012) no Viva, e também em "As Aventuras de Poliana" (SBT).

"Eu não faço esforço nenhum, já está tudo gravado [risos]. Mas essa não é a primeira vez que isso acontece comigo. Quando eu fiz 'Peróla Negra' [SBT, 1998-1999] que foi toda gravada, já estava na Globo. É curioso, você quer fugir mas não dá. Costumo brincar dizendo para as pessoas que estou todo exibidão."

Exibida entre 2011 e 2012, "Fina Estampa" mostra a história de duas mulheres completamente opostas: Tereza Cristina (Christiane Torloni), rica e arrogante, e a trabalhadora Griselda (Lília Cabral) que disputam o amor de Renê, personagem de Dalton Vigh.

Para ele, que interpreta o galã do folhetim, o motivo pelo qual a novela está sendo reprisada –no lugar de "Amor de Mãe", por causa da paralisação das gravações devido ao novo coronavírus–, não deve ser comemorado. "Achei legal o fato de a novela estar sendo reprisada mas não pelas circunstâncias que é essa pandemia. Estaria mais feliz se estivesse passando no Vale A Pena Ver de Novo."

"Que daqui a pouco volte tudo ao normal, que a vida continue. Não sei como vai ser a nossa vida a partir de agora, mas eu torço para que volte a normalidade o mais rápido possível", diz o ator.

GRANDE SUCESSO

Escrita por Aguinaldo Silva, "Fina Estampa" traz personagens emblemáticos da TV brasileira como Griselda (Lília Cabral), mais conhecida como Pereirão, e Crô (Marcelo Serrado). Na opinião de Dalton Vigh, esse foi um dos motivos para a trama substituir "Amor de Mãe", de Manuela Dias.

"Por vir antes das redes sociais ninguém notou, mas foi a novela que mais fez sucesso com o povo. Em questão de números, a audiência foi maior que de a 'Avenida Brasil' [trama de 2012 da Globo reprisada no Vale a Pena Ver de Novo]", ressalta. "Pode ser um achismo meu, mas acredito que a Globo escolheu a novela por isso", afirma.

Vigh não se esquece do primeiro dia em que o folhetim foi ao ar. O ator relembra que estava reunido com o elenco e a equipe de produção em um restaurante no Rio de Janeiro, quando os primeiros números de audiência chegaram.

"Lembro que estava do lado do chefe de produção quando ele disse que fizemos uma média de 41 pontos de audiência, maior que todas as novelas de antes. Naquele momento, foi um ótimo sinal de que a novela iria bem. E ela terminou com média consolidada [total] de 39, 40. Que é maior que de 'Avenida Brasil'. A novela antigiu um outro tipo de público, e teve muito alcance na época."

Longe das redes sociais por escolha própria, Vigh não mostra surpresa ao saber que a novela está sendo bastante comentada. "Que bom que as pessoas estão gostando, é legal. Muita gente que não viu na época vai poder ver agora, quem gostou vai poder rever. E de uma certa forma as pessoas estão mais em casa, então não tem para onde correr [risos]."

'AS AVENTURAS DE POLIANA'

Na pele do misterioso empresário Sr. Pendleton, em “As Aventuras de Poliana” (SBT), Dalton Vigh também sofreu com as paralisações das gravações por causa da pandemia do novo coronavírus. O folhetim de Iris Abravanel, que atingiu a marca de 500 capítulos no último dia 14 de abril, estava gravando a segunda fase da novela, que tem previsão de estreia para final do primeiro semestre.

"Dá uma saudade de todos. Dá uma certa angustia de não receber roteiro. Mas agora é o momento de tentar encontrar uma calma nesse turbilhão de momento em que estamos vivemos", comenta o ator que está seguro em sua casa com a esposa, Camila Czerkes, e os filhos, em São Paulo.

Embora a situação seja desagradável por causa da quarentena forçada, Vigh dz estar animado com o seu personagem, que terá um rumo diferente na nova temporada. "É a primeira vez que faço um personagem por tanto tempo. É legal conseguir evoluir com ele, que começou com um jeito misterioso e foi mudando", comenta o ator que interpreta Sr. Pendleton desde 2018. "Ele ser pai da Poliana [Sophia Valverde] não estava na sinopse, também foi uma resposta do público."

Dalton Vigh afirma que o Sr. Pendleton será bem diferente da primeira fase, tanto em relação aos comportamentos como sentimentos. "Agora vai ser um outro momento da vida dele, porque o salto vai ser de dois anos na história. A novela começa e ele já está em um relacionamento, se assumiu como pai."

Com um carinho enorme por todo o elenco, principalmente pelas crianças, Vigh não esconde sua vontade em voltar a gravar. "É um clima muito bom de gravação. Agora estou aproveitando para ler e estudar bem o personagem."

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem