Televisão

Waack diz que não se lembra, mas pede desculpas por fala racista



Afastado de suas funções pela Globo, o jornalista William Waack pediu "sinceras desculpas àqueles que se sentiram ultrajados" por ter dito que o barulho de uma buzina é "coisa de preto".

Entretanto, segundo nota enviada pela Globo, "Waack afirma não se lembrar do que disse, já que o áudio não tem clareza."

No mesmo comunicado, a emissora afirma que a partir desta quinta (9), vai ser reunir com o jornalista para decidir como se desenrolarão os próximos passos.

"A Globo é visceralmente contra o racismo em todas as suas formas e manifestações. Nenhuma circunstância pode servir de atenuante", afirma a emissora.

O CASO

No vídeo que circula na internet, o jornalista, então apresentador do "Jornal da Globo", aparece num estúdio em frente à Casa Branca, nos EUA, ao lado de Paulo Sotero, diretor do Brazil Institute, do Wilson Center.

"Tá buzinando por quê, seu merda do cacete? Não vou nem falar porque eu sei quem é", afirma Waack, irritado. Na sequência, ele olha para o convidado e diz, em tom baixo: "É preto. É coisa de preto."

Após o comentário do jornalista, o convidado ri constrangido.


Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem