Nerdices

Pôster raro de '007 contra a Chantagem Atômica' vai a leilão

Peça pode ser arrematada por até R$ 92,2 mil, diz casa de leilões

Funcionário segura pôster de filme de 007 que irá a leilão
Funcionário segura pôster de filme de 007 que irá a leilão - Hannah McKay-7.abr.2021/Reuters
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Will Russell
Woking (Inglaterra)
Reuters

Um pôster raro de "007 contra a Chantagem Atômica", filme de James Bond de 1965, será leiloado nesta sexta-feira (9), e, segundo especialistas, pode ser arrematado por até 12 mil libras esterlinas (R$ 92,2 mil, na cotação atual).

Destaque de uma venda virtual de suvenires de Bond, o pôster Advance British Quad tem quatro painéis que retratam o amável agente 007, então interpretado pelo ator escocês Sean Connery, combatendo vilões ou cercado por mulheres com roupas escassas.

Medindo 76 por 101 centímetros, o cartaz forrado de linho foi concebido para ser dividido em quatro, de acordo com a casa de leilões britânica Ewbank's, que estima que ele obterá algo entre 8.000 e 12 mil libras esterlinas (R$ 61,5 mil e R$ 92,2 mil, na cotação atual).

"Sempre houve uma base enorme de colecionadores de itens relacionados a James Bond, que parece só estar crescendo", disse a avaliadora da Ewbank's, Natalie Davies.

O leilão "James Bond 007" desta sexta ainda inclui um pôster British Quad original de 1962 do primeiro filme do agente, "007 contra o Satânico Dr. No", avaliado entre 6.000 e 9.000 libras (R$ 46 mil e R$ 69,2 mil, na cotação atual).

Também há objetos de cena, como uma placa de luz de metal com as palavras "Albert R Broccoli 007 Stage", uma referência ao falecido produtor de cinema norte-americano, que costumava ficar pendurada nos Estúdios Pinewood.

Uma réplica da cartola usada pelo personagem Oddjob em "007 contra Goldfinger", de 1964, deve conseguir algo entre 2.000 e 4.000 mil libras (R$ 15,4 mil e 30,7 mil, na cotação atual).

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem