Nerdices

'Gibizão' da Turma da Mônica entra para o Guinness World Records

Com um metro de altura e 70 cm de largura, livro bateu recorde

Lançamento do maior gibi do mundo, da Turma da Mônica, na 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo
Lançamento do maior gibi do mundo, da Turma da Mônica, na 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo - Aluã Pereira/Divulgação

Letícia Naísa
São Paulo

O recorde de maior livro de história em quadrinho do mundo foi batido pela Turma da Mônica.

Lançado no último domingo (5) na 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, a editora Panini e a Mauricio de Sousa Produções entraram para a lista do Guinness World Records, que registra recordes mundiais.

Chamado de "gibizão", o livro tem um metro de altura por setenta centímetros de largura e foi avaliado por duas juízas oficiais do Guinness e por arquitetos, que validaram o título à publicação.

"Ser o único em alguma coisa, em qualquer atividade, é legal", diz o quadrinista Mauricio de Sousa. "Entrando naquele catálogo, vão saber no mundo todo que a Mônica existe."

O recorde foi registrado no site do Guinness World Record, mas não sairá na edição impressa do Guinness Book em 2019, que já foi fechada.

Antes da "Turma da Mônica", quem detinha o recorde era o livro "Cruzader™: Agent Of The Vatican", do americano Omar Morales, com 94,46 cm de altura por 60,96 cm de largura.

A edição do "gibizão" é limitada, foram feitos apenas 100 exemplares, e está à venda por R$ 1.000 no site da Panini e na Bienal, que vai até o dia 12 de agosto no Pavilhão do Anhembi, na zona norte de São Paulo. No evento foram vendidos cinco exemplares, segundo a Panini, que foram autografados por Mauricio de Sousa.

O conteúdo do gibi é composto por 16 páginas com seis histórias e uma tirinha no final. De acordo com a editora Panini, um dos critérios foi pensar em histórias com vários personagens diferentes. Estão na revista as histórias: Astronauta, Cebolinha, Mônica e a Turminha, Penadinho, Mônica e Magaly e Bidu e Franjinha.

"Os personagens e as histórias aparecem em tamanho especial, mas sem perder as características do gibi tradicional", afirma José Eduardo Martins, presidente da Panini.

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem