Música

Flor Jorge, filha de Seu Jorge, estreia na carreira musical com 'Sapiens'

Cantora de 19 anos participou do novo álbum da cantora Marisa Monte

Cantora e compositora Flor Jorge
Cantora e compositora Flor Jorge - Mariana Jorge
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A cantora e compositora Flor Jorge, 19, filha do cantor Seu Jorge, escreve poemas desde criança e com o tempo começou a transformá-los em letras de música. Um caminho natural para a menina que cresceu frequentando os bastidores dos shows do pai e vendo ele em casa cantando e compondo com parceiros.

Flor conta que desde criança sentava com o pai para cantar e compor músicas - Seu Jorge já compartilhou vários vídeos com a primogênita no seu canal no YouTube. Aos 8 anos, ela escrevia seus pensamentos, histórias e poesias em um diário. Segundo a cantora, a paixão pela composição foi crescendo junto com ela.

“Escrever é muito importante na minha vida, qualquer tipo de escrita, pode ser historinha, música, poemas, pensamentos. Escrever é muito importante para mim, eu tenho cadernos e cadernos cheios só de pensamentos."

Dessa necessidade de se expressar escrevendo nasceu um poema que se transformou na letra do seu primeiro single, “Sapiens”, lançado em julho no canal da cantora no YouTube. A canção em inglês fala de ancestralidade e foi escrita em junho do ano passado durante os protestos nos Estados Unidos contra a morte de George Floyd, que escancarou o racismo da polícia no país.

Flor, que mora desde os 10 anos em Los Angeles, estava acompanhando os protestos e chegou a ir em ao menos duas passeatas. Ela diz que participou mais ativamente pelas redes sociais do que nas ruas porque estava com medo de ser contaminada com Covid.

“Passei dois meses muito mal, para baixo, triste. O mundo parado, as pessoas doentes [com Covid] e todo esse negócio de racismo. Teve uma noite que eu estava chorando, mal, fiquei acordada até 4h da manhã e escrevi um poema."

A compositora afirma que não pensou na hora que a poesia se transformaria em música e admite que nem rimava direito. No dia seguinte, sua família recebeu a visita do cantor, compositor e violonista Rogê, amigo de longa data de Seu Jorge, que foi passar o final de semana com a família.

Flor conta que o músico começou a tocar uma melodia no violão. Ela perguntou se a música já tinha sido gravada e Rogê disse que não. A compositora começou a cantar o poema, ele foi acrescentando a melodia e assim nasceu “Sapiens”.

“O Rogê teve a ideia de convidar o Arthur Verocai [pianista, compositor e maestro brasileiro], de quem eu sou fã. Ele ouviu a música e adorou fazer. Foi uma honra, um trabalho muito bonito em um lugar muito escuro [momento triste]."

Com a música pronta, a cantora fala que começou uma pesquisa enorme de imagens para o videoclipe. Com a ajuda de Rafa Ramos, eles foram editando o vídeo para mostrar a beleza da cultura negra e a ancestralidade.

“No meio do clipe queria mostrar o medo e a violência [contra os negros] e depois um pouquinho da esperança. Se você assistir ao clipe e seguir a letra embaixo [tradução em português] tudo se encaixa, cada imagem."

Quase que simultaneamente ao lançamento do primeiro single, Flor participou com o pai do disco “Portas”, de Marisa Monte, cantando “Para Melhorar”. A música foi escrita por Marisa e Flor, na época com 13 anos, e gravada pela primeira vez em um estúdio nos Estados Unidos.

“Marisa tinha uma melodia, eu tinha umas ideias de letra e a gente acabou escrevendo junto. É muito fácil trabalhar com a Marisa, a comunicação é maravilhosa, ela me dá a liberdade de ser quem eu sou na música."

Anos depois, Flor foi surpreendida por uma ligação telefônica de Marisa falando que queria colocar a música no seu novo álbum e gostaria que ela participasse. A compositora revela que tinha esquecido completamente da música. “É maravilhoso, que honra, o que mais tenho para falar, não tenho mais nada para falar”, diz, feliz.

A cantora diz que atualmente trabalha no lançamento de um novo single, “Macumbeira”, que já foi gravado em estúdio. No momento, ela está trabalhando no videoclipe e garante que logo estará disponível no seu canal no YouTube. “Essa música é basicamente um filme e eu não vejo a hora de filmar”.

Apesar de ter gravado uma música em português com Marisa e o pai, a cantora afirma que não ainda não tem planos de escrever na sua língua materna. “Eu gosto de escrever em inglês e acho que as minhas palavras saem mais suaves, e tem coisas que consigo explicar em inglês”, afirma a cantora.

Flor explica que, por ter se mudado com dez anos para Los Angeles e ter estudado lá, às vezes se enrola com a língua e não consegue falar nem português e inglês. A maior parte das suas memórias são dos Estados Unidos.

“Mas eu lembro de muita coisa importante do Brasil, por exemplo o candomblé. Cresci com isso indo no terreiro, fazendo minhas obrigações com minhas tias e avó. Nunca saiu de mim, eu ainda faço isso."

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem