Música

Pharrell Williams diz ter vergonha de 'Blurred Lines' após acusações de apologia do estupro

Músico diz que não escreveria algumas canções suas hoje

Pharrell Williams
Pharrell Williams - Oli Scarff/ AFP
K. Sophie Will

O cantor e compositor norte-americano Pharrell Williams, 46, disse se sentir “envergonhado” por um de seus maiores sucessos, a música “Blurred Lines” (2013) depois de perceber que a letra tinha apologia do estupro.

A música, que Williams gravou com o cantor e compositor Robin Thicke e o rapper T.I., foi banida por uma lista de universidades depois que sua letra foi acusada de promover a cultura do estupro e também por conta de seu vídeo sexualmente explícito.

Williams chegou a defender a faixa em entrevistas anteriores, apesar de ter sido atacado por trechos da canção como “eu sei que você quer” (“I know you want it”). Mas, em uma entrevista à revista GQ, nesta semana, ele disse que agora entende como a letra pode ser vista como uma apologia ao estupro.

“Percebi que existem homens que usam essa mesma linguagem quando se aproveitam de uma mulher, e não importa que esse não seja meu comportamento”, disse ele à revista. “Só importa como isso afeta as mulheres.”

Pharrell disse que “nasceu em uma era diferente”, em que muitas das coisas com as quais ele cresceu —antes consideradas normais— seriam vistas de maneira diferente agora.

“Algumas das minhas músicas antigas, eu nunca escreveria ou cantaria hoje. Fico envergonhado com algumas dessas coisas. Levou muito tempo e crescimento para chegar a esse lugar”, disse ele. “Percebi que vivemos em uma cultura chauvinista em nosso país.”

Reuters
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Mais lidas