Música

Sobreviventes de massacre em boate criticam Madonna por cenas do clipe de 'God Control'

Artista recriou tiroteio na boate Pulse, em 2016

Madonna no clipe de God Control
Madonna no clipe de God Control - Reprodução
São Paulo

A cantora Madonna, 60, lançou nesta quarta-feira (26) o clipe da música “God Control” que faz crítica à legalização das armas recriando imagens do tiroteiro que ocorreu na boate gay Pulse, em 2016, nos Estados Unidos.

Alguns dos sobreviventes do massacre que matou 49 pessoas não gostaram da forma que a artista se apropriou da tragédia.

Brandon Wolf, um deles, falou ao site TMZ que é realmente importante levantar esse tema, mas a cantora não fez isso da melhor maneira. "Em momento algum, ela procurou os parentes das vítimas ou sobreviventes para saber como o videoclipe os afetaria", afirmou.

"Essa é a mesma Madonna que postou um vídeo dela beijando Britney Spears em homenagem aos mortos, um dia depois do tiroteio. Não sei qual é o objetivo dela com isso", concluiu. Para ele, a artista se apropriou da tragédia para lançar uma música. 

Pacience Carter, outra sobrevivente, também enviou um vídeo ao site americano comentando o videoclipe. 

"Entendi que ela estava tentando trazer atenção para o que aconteceu, mas acho que não foi da forma correta, pois para alguém como eu, que vi as imagens e vivi essas imagens reais, vê-las de novo, dramatizada para visualizações, achei bastante insensível", afirmou.

A música "God Control" está no disco "Madame X", recentemente lançado pela artista. O videoclipe recria cenas do massacre mostrando os acontecimentos de trás para frente. No meio do vídeo, um atirador entra em uma discoteca e causa a morte de muitas pessoas. Inclusive a dela.

“A música chamada ‘God Control’ é sobre o controle de armas, que é algo que eu tenho muitos sentimentos a respeito”, escreveu Madonna. “É irônico, porque nós costumávamos frequentar lugares como boates para nos divertir juntos, sermos livres. Agora, mesmo esses lugares não são mais seguros”, disse ela em um teaser sobre o vídeo.

O clipe é dirigido por Jonas Akerlund, o mesmo de ‘American Life’. Além das imagens da festa disco dos anos 1970 que é encerrada pela troca de tiros, o clipe conta com imagens reais de protestos contra as armas feitos pelo país.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias