Música

Revelação do rap aos 20, Delacruz emplaca música na novela das nove e mira sucesso no Rock in Rio

Artista será um dos destaques do palco Espaço Favela do festival

O rapper Delacruz
O rapper Delacruz - João Victor/Divulgação
Fabiana Schiavon
São Paulo

Aos 20 anos, o cantor e rapper Delacruz entrou na lista das grandes descobertas da música. Nascido na comunidade de Vigário Geral, zona norte do Rio de Janeiro, o jovem emplacou uma de suas músicas na trilha de “O Sétimo Guardião” (Globo) e recebeu convite para tocar no Rock in Rio.

O seu estilo mistura letras românticas a um rap melódico, que passeia por diversos ritmos com um pouco de rock e de batidas dançantes em suas canções. De origem humilde, Delacruz sempre soube de seu talento. Ainda criança, ele já escrevia suas letras e usava o intervalo da escola para fazer rimas. Em 2014, ele começou a trabalhar profissionalmente.

A receita deu certo. Só no Spotify, Delacruz acumula mais de 2 milhões de ouvintes mensais. Com acessos em ascensão, ele e seu amigo-irmão, Prodgust, que atua como produtor, perceberam que o projeto deles estava prestes a virar sucesso e investiram ainda mais na música.

O convite para o Rock in Rio e ver a música na novela, ele acredita, são consequência disso. "A gente fez tudo isso com a intenção de dar certo. De certo modo, a gente esperava que as coisas acontecessem."

O hip-hop “Sobre Nós”, que é ouvido na novela das nove, é interpretado por ele e mais diversos cantores e rappers, como BK, Pineapple, StormTV e a cantora Maria –essa última se apresentará ao lado dele, no Rock in Rio, no palco Espaço Favela.  ​

A pegada de bandas como o Rappa e Charlie Brown Jr., algumas das influências de Delacruz, são sentidas na canção. Por isso mesmo, ele não se define como rapper, mas como cantor. "Acabam me chamando de rap porque tenho essa intimidade com as rimas e porque sigo muito da filosofia hip-hop."

Sempre na estrada, Delacruz tem expectativas elevadas sobre participar do line-up do Rock in Rio, em outubro. No início do segundo semestre, o cantor deve lançar um novo álbum e, enquanto o projeto não avança, ele continua na divulgação da música “A Meta É Ficar Bem”, em parceria com a cantora Camila Sazoul.

"Na estrada eu sempre estive, porque é no palco que a gente prova o nosso real valor. Músico de estúdio não rola, né?”, afirma o artista. O convite para o festival veio de um show que fez na favela. “Eles foram até as favelas para ver quem estava cantando e me viraram em uma das visitas."

Muitos de seus registros foram feitos ao vivo. Na música “Andressa”, ele canta voz e violão em um clipe que tem mais de 21 milhões de acessos no YouTube. No Spotify, por exemplo, há uma apresentação gravada no estúdio Showlivre, com nove canções. 

Como todo músico da nova geração, ele não tem medo de misturar com ritmos que possam parecer totalmente diferentes de seu perfil. Delacruz também gravou com os pagodeiros da Banda Bom Gosto a música “Deixa Meu Cabelo”, que exalta a beleza negra. 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias