Estilo

Tudo o que você precisa saber sobre a Semana de Moda de Nova York

Na semana do Oscar, evento tenta se recuperar de várias temporadas sem destaques

Modelos na Semana de Moda em Nova York 2020
Modelos na Semana de Moda em Nova York 2020 - Xinhua/Han Fang
Peter Hutchison Laura Bonilla
Nova York

A Semana de Moda de Nova York, que acontece duas vezes por ano na cidade americana, começou nessa quinta-feira (6). Com a cerimônia do Oscar antecipada de março para fevereiro, acontecendo neste domingo (9), o calendário não é ideal para a Semana de Moda, que ainda tenta se recuperar de várias temporadas sem brilho.

Os estilistas sempre tentam encher a primeira fila com atores e atrizes famosos para admirar suas criações, mas muitos estão nessa semana em Los Angeles, onde as grandes festas de Hollywood vão competir com as de Nova York.

Scott Studenberg e Margherita Missoni escolheram apresentar suas coleções de outono 2020 em Los Angeles, para aproveitar o momento.

Até Tom Ford, diretor do Conselho de Designers de Moda dos Estados Unidos (CFDA na sigla em inglês), que ajuda a organizar o evento em Nova York, decidiu partir para o oeste.

"Não há nada realmente mais visível que Los Angeles no momento do Oscar", disse Ford. "Alguém me perguntou outro dia como posso justificar o desfile em Los Angeles sendo o diretor da CFDA", disse em entrevista ao site Business of Fashion. "Lembrei a ele que se trata do Conselho de Designers dos Estados Unidos, não de Nova York".

AUSÊNCIAS

A chegada de Tom Ford no CFDA gerou esperança: o estilista reduziu a semana de moda para cinco dias para dar mais força ao evento, e grandes nomes como Tommy Hilfiger e Rihanna desfilaram suas coleções em Nova York em setembro do ano passado.

Mas agora Tommy Hilfiger apresentará sua coleção em Londres, e Jeremy Scott, em Paris. A atriz e cantora Rihanna, que desfilou sua famosa segunda coleção de lingerie para Savage x Fenty, também não vai estar em Nova York.

Ralph Lauren, Phillip Lim, Tomo Koizumi e o estilista Kerby Jean-Raymond, da marca Pyer Moss, que causou sensação na semana passada, decidiram não desfilar nessa temporada em Nova York. O mesmo aconteceu com Zero+María Cornejo, que fará uma apresentação íntima em vez de um desfile.

DE OLHO NO NOVO

Apesar de tudo, grandes nomes vão comparecer à Semana de Moda de Nova York, que termina em 12 de fevereiro: Marc Jacobs, Michael Kors, Carolina Herrera e Oscar de la Renta marcarão presença nas passarelas.

As irmãs Mulleavy, da marca Rodarte, consideradas as estilistas mais originais de sua geração, voltam a Nova York e darão um estímulo importante ao evento.

A marca Rag & Bone, cujo show vai ter a participação de inteligência artificial, volta a Nova York pela primeira vez desde 2016.

Os estilistas jovens serão examinados com atenção pelos compradores das grandes lojas. A revista Vogue deu destaque para Kee Kim, Olivia Cheng, Tia Adeola e Kenneth Nicholson.

Outros mais conhecidos para ficar de olho são Sies Marjan, Eckhaus Latta, Monse, Brandon Maxwell e a uruguaia Gabriela Hearst.

A Semana de Moda de Nova York tem tentado ser mais diversa nos últimos anos, e vai apresentar nessa temporada desfiles do estilista senegalês de Sukeina, Omar Salam, de Fe Noel, de Granada, dos estilistas negros Aliette, LaQuan Smith e Christopher John Rogers.

CORONAVÍRUS

Nova York abriu suas portas aos estilistas  –além de blogueiros e "influencers"– chineses nas últimas temporadas com a meta de conquistar esse cobiçado mercado. Mas não se sabe o que acontecerá esse ano, quando cresce o medo do coronavírus.

O CFDA não informou o cancelamento de nenhum dos desfiles programados. As marcas chinesas Mukzin e Sheguang Hu mantiveram seus planos de desfilar. Mas na Semana de Moda de Milão, que acontece de 18 a 24 de fevereiro, as marcas chinesas Angela Chen, Ricostry e Hui anunciaram sua desistência devido ao coronavírus.

O fechamento das fábricas, divulgaram as marcas, os impediu de terminar as coleções a tempo. Cerca de 1.000 compradores chineses, jornalistas, estilistas e outras pessoas vinculadas à indústria da moda vão perder o evento, segundo funcionários italianos do setor.

O conselho britânico de moda (BFC) disse que espera um número de chineses "consideravelmente reduzido" na Semana de Moda de Londres, que acontece de 14 a 18 de fevereiro.

AFP
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem