Diversão

Miguel Falabella e Ingrid Guimarães trazem peça premiada da Broadway 'Annie' para São Paulo

Premiado espetáculo estreia nesta quinta (30) no Teatro Santander

Cena do espetáculo "Annie"
Cena do espetáculo "Annie" - Lenise Pinheiro/Folhapress
Karina Matias
São Paulo

Uma história de esperança, que tem como protagonista uma órfã de 11 anos, com poder de transformar a vida de um rude e solitário milionário. Esta é a trama de “Annie, o Musical”, premiado espetáculo da Broadway, original de 1977, que estreia nesta quinta (30) no Teatro Santander, no Itaim Bibi (zona oeste), na capital. A direção é do especialista no gênero, Miguel Falabella. Outro destaque é Ingrid Guimarães, que pela primeira vez faz um musical.

“É muito emocionante, depois de 30 anos de carreira, poder fazer algo que nunca fiz”, diz. Fã da trama [adaptada de uma história em quadrinhos americana] desde criança, quando assistiu várias vezes ao filme “Annie” (1982), a atriz revela que o seu maior receio era cantar. “Comecei a me preparar. Mas o Miguel é bem sincero. E ele falou: se você estiver ruim, pode ter certeza de que não vai ficar”, relata, aos risos.

Ingrid vive senhora Hannigan, a megera diretora do orfanato que inferniza Annie. “Ela não tem nada a ver comigo. É alcoólatra, coloca as crianças para trabalhar, bate. Mas é muito gostoso poder fazer uma maluca, né.”

No papel-título, três atrizes mirins se revezam: Luiza Gattai, 11, Sienna Belle, 10, e Maria Clara de Rosis, 12. Outras participações para lá de especiais são as dos cachorros Scott e Lisa, da raça podengo português, que se revezam no papel de Sandy, cãozinho de Annie.

Já Falabella é Oliver Warbucks, milionário ranzinza que passa por mudança ao conhecer Annie. Para o personagem, o ator raspou o cabelo. “Ele é um capitalista que só pensa em dinheiro. Vai se transformar em uma pessoa melhor.”

O musical original se passa durante a Grande Depressão Americana, no fim dos anos 1920, quando a crise econômica deixou milhares de desempregados. Para Falabella, uma comparação com o Brasil atual pode acontecer. “Mas a peça é um campo de esperança”, avalia. “Tem até uma bandeira americana no palco para não pairar dúvidas de que ela se passa lá.”

“Annie, o Musical”

  • Quando Qui. e sex., às 21h; sáb., às 16h30 e às 21h; e dom. às 15h e às 19h
  • Onde Teatro Santander (av. Presidente Juscelino Kubitschek, 2.041, Shopping JK Iguatemi)
  • Preço De R$ 75 a R$ 310
  • Classificação Livre
  • Tel.: (11) 4810-6868
  • Capacidade: 959 lugares

TRÊS ATRIZES MIRINS E DOIS CÃES

Para achar a protagonista Annie, a produção do musical fez audições em São Paulo, Rio, Fortaleza, Brasília e Curitiba. As três escolhidas —Luiza Gattai, 11, Maria Clara de Rosis, 12, e Sienna Belle, 10— foram selecionadas entre 3.500 crianças. Em cada espetáculo, uma delas faz a órfã.

Sienna é a vilã Frida, da novela “Carinha de Anjo” (SBT). Nascida no Canadá, conta que já era fã da trama. “Quando tinha três anos e me mudei para o Brasil, ganhei alguns filmes e um deles foi ‘Annie’. Assistia sem parar. Já conhecia todas as músicas, em inglês.”

Maria Clara conta que pediu uma oportunidade diretamente para o Miguel Falabella, quando foi vê-lo no musical “Antes Tarde do que Nunca”, em 2015. E Luiza Gattai participou do “The Voice Kids”, da Globo. “Falaram para que eu fizesse teatro musical, porque eu sou muito expressiva.” Para o cão Sandy, foram acionados dois animais da raça podengo português: Scott e Lisa, que vieram de Portugal.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias