Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Tony Goes

Lorena Comparato se aventura no gênero terror com o filme 'Lacuna'

Além de estrelar o longa, atriz também estreia como produtora associada

Cenas do filme "Lacuna" - Divulgação
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Você talvez não reconheça o nome dela, mas com certeza já viu Lorena Comparato em diversos filmes, novelas e séries. Atriz desde os nove anos, ela foi a Abigail de Jesus em "Pé na Cova" e a Shirley do Rosário em "Rock Story", ambas na Globo.

Atualmente, Lorena participa das séries "Homens", do canal Comedy Central e da Amazon Prime Video, e "Impuros", da plataforma Star +. Também está indicada a melhor atriz no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro por seu papel no filme "Boca de Ouro", e fez uma participação na novela "Um Lugar ao Sol", próxima ocupante da faixa das 21h na Globo.

Com tantos dramas e comédias no currículo, ainda faltava um gênero para Lorena se aventurar: o terror, que vem ganhando importância no cinema nacional. Não falta mais. Nesta sexta-feira (29), aproveitando o fim de semana do Halloween, chegou ao Globoplay o longa de terror psicológico "Lacuna", do qual Lorena é uma das protagonistas.

"A lacuna é esse vazio que todo mundo tem por dentro", conta a atriz. "Algumas pessoas têm esse vazio um pouco mais intenso, deixando um lugar aberto para o mal entrar".

Na trama, Lorena faz Sofia, uma jornalista traumatizada pelo suicídio do pai e que ainda por cima vive uma relação difícil com a mãe, Helena, papel de Kika Kalache.

As coisas se complicam ainda mais quando Helena sofre um grave acidente. Ela sobrevive, mas passa a apresentar um comportamento estranho, rabiscando cadernos com desenhos assustadores e letras incompreensíveis. Sofia então resolve investigar, e segredos do passado vêm à tona.

"Eu me interesso muito pelas relações familiares", afirma Lorena. "Recebi vários convites para filmar no ano passado. Alguns dos roteiros que eu li até falavam de tentativas de empoderamento feminino, só que disfarçados de machismo. Mas o texto do Rodrigo Lages, que eu conheci através do Rodrigo Logam (colega de elenco de Lorena em "Impuros"), me pegou na hora".

"Lacuna" foi filmado no Rio de Janeiro em apenas 12 dias, em setembro de 2020, com equipe e elenco enxutos. No set, todos usavam máscara e faceshield, e praticavam distanciamento social. Também houve um compromisso entre todos os profissionais para se restringirem entre a casa e o trabalho. Deu certo: não houve um único caso de Covid-19 entre eles.

"Só fui conhecer pessoalmente o Rodrigo, a Kika e o produtor Hudson Vianna no dia em que fomos fazer uma foto para o filme. Passamos meses conversando e trabalhando apenas por videoconferência", diz Lorena.

"Lacuna" é uma produção totalmente independente. A produtora Cosmocine não usou dinheiro público: foi tudo financiado por ela mesma, que depois foi vender o filme já pronto. Por causa da pandemia, não houve lançamento nos cinemas, mas o Globoplay se interessou.

Lorena e Kika receberam apenas uma ajuda de custo pelo trabalho como atrizes, e ainda trabalharam como produtoras associadas do filme. "Demos muito pitaco em tudo", acrescenta Lorena. "Nas escolhas, na estrutura, nos cortes. De certa forma, eu sempre fui produtora, pois faço isto há anos com meu grupo de humor, a Cia. de Quatro Mulheres. Mas só agora eu recebi crédito!"

Depois do terror, a atriz já enfrenta um novo desafio. Ela está em Goiânia, rodando a série "Rensga Hits!", uma produção da Glaz para o Globoplay. A trama se passa no universo da música sertaneja, e o público vai conhecer uma nova faceta de Lorena Comparato: a de cantora.

Tony Goes

Tony Goes tem 60 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.com.br

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem