Tony Goes

BBB 21: Disputa acirrada no Paredão mostra que nova narrativa pode surgir

Carla sai leve, Rodolffo se redime e Sarah leva pito de Leifert

Carla Diaz - João Cotta/Globo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Venceu o feminismo? Carla Diaz decepcionou os fãs que a mandaram para o quarto falso. De volta ao jogo, a primeira providência da atriz foi se jogar aos pés de Arthur e implorar por amor eterno.

O dia e meio que passou no Quarto Secreto não serviu para ela perceber que ele não estava tão a fim assim. Agiu feito uma mocinha submissa e desperdiçou a chance de dar as cartas. Não foi perdoada.

Ou venceu o machismo? Rodolffo chocou boa parte dos internautas com declarações sexistas e nem foi pela primeira vez. O cantor sertanejo disse que, de saia, Fiuk seria barrado nas boates de Goiânia e precisou levar um sermão para entender como esse tipo de comentário é ofensivo.

Mas o cara está em primeiro lugar nas paradas com “Batom de Cereja” junto com seu parceiro Israel. Um sinal inequívoco de que muita gente gosta dele.

É difícil dizer o que predominou na eliminação de Carla Diaz na noite desta terça (23). Até porque o machismo também pode ter empurrado a ex-Chiquitita para fora da casa: o próprio Rodolffo a acusou de não ser leal a seu amado Arthur quando o inverso é que é verdadeiro.

Mas o fato é que essa dicotomia proporcionou o paredão mais emocionante da temporada até agora. As enquetes online apontavam para um resultado apertadíssimo, e não deu outra.

Carla recebeu 44,96% dos votos do público enquanto Rodolffo teve 44,45%. Menos de meio ponto de diferença. Será que está surgindo uma nova narrativa dentro do BBB 21? Mulheres empoderadas versus machões empedernidos?

Na verdade, este é o embate mais clássico do programa. Nos primeiros anos, os homens sempre venciam, até que os ventos viraram.

O fato é que, a seis semanas da final e com todos os grandes vilões já defenestrados, o reality precisa de algo mais do que simples brigas por comida. A discussão entre Fiuk e Juliette por causa da calda de um bolo de chocolate foi divertida e iluminou aspectos da personalidade de ambos, mas os espectadores merecem algo mais.

Talvez seja injusto exigir que o Big Brother reflita os grandes debates que agitam a sociedade. O programa nunca prometeu nada além de escapismo, e é óbvio que precisamos nos distrair neste momento tétrico que estamos atravessando. Mas o BBB repercute muito mais quando racismo, homofobia e machismo entram na pauta do dia.

Há uma outra narrativa que está pondo a cabecinha para fora neste momento: as atitudes dos brothers em relação à pandemia. Sarah, antiga queridinha da audiência, perdeu popularidade depois de admitir simpatia por Bolsonaro e parece ter enterrado suas chances de vez ao confessar que frequentou baladas clandestinas, mesmo com o número de contaminações crescendo a cada dia.

No programa desta terça (23), Tiago Leifert fez um alerta aos jogadores: a Covid-19 não está indo embora, ao contrário do que pensam alguns deles. Muitos ficaram visivelmente abalados. Sarah tentou fazer cara de pôquer, mas os closes que a câmera deu em seu rosto logo se transformaram em memes.

Em resumo: Carla Diaz saiu leve do jogo e assumiu seus erros com bom humor nas obrigatórias conversas com Ana Clara, no Multishow, e Ana Maria Braga, no “Mais Você”.

Rodolffo, por sua vez, encarou o próprio machismo de frente depois de uma conversa com Fiuk que pode ter lhe salvo a pele. Os dois estão maiores do que há uma semana, mesmo com ela tendo deixado a disputa.

Agora a casa parece se voltar contra Juliette. Um paredão com a presença da atual favorita pode chacoalhar o BBB 21 enquanto uma narrativa maior não se impõe.

Tony Goes

Tony Goes tem 60 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.com.br

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem