Alexandre Orrico

BBB 21: João Luiz compra briga com 10% do Brasil

Professor comete erro ao entrar em rota de colisão com Juliette e seus fãs

João Luiz - João Cotta/Globo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

João Luiz não faz ideia, mas cometeu um erro que pode ser fatal para qualquer um nesta edição do BBB (Globo): entrou em rota de colisão com Juliette e sua base de fãs de mais de 20 milhões de pessoas. É como se o professor tivesse comprado briga com mais de 10% da população brasileira.

Durante o primeiro mês, João foi rotulado como planta. Mas ao longo do programa mostrou-se um jogador habilidoso, principalmente ao antagonizar Projota e, mais tarde, Rodolffo.

Porém, ninguém está imune a cometer erros. A verdade é que João conferiu um peso desnecessário ao comentar a relação de Juliette com Arthur e Fiuk e a interação dela com os dois durante a última festa.

Falou para Viih Tube, em tom negativo, que a paraibana flertou com ambos, como se estivesse fazendo algo de errado. Disse ainda que precisou "intervir" para que não acontecesse algo. Coube a Camilla de Lucas, principal aliada de João no jogo, dar o tom correto sobre o que aconteceu.

No Instagram oficial do BBB dá para sentir o quanto a atitude de João irritou os cactos. Praticamente todas as últimas postagens têm comentários com a tag #ForaJoão, mesmo que ele nem esteja no paredão atual. Muita gente diz que o ranço só piorou agora, mas já havia começado há mais dias, quando ele relativizou o comportamento de Karol Conká.

O cenário é complexo porque João vinha sendo alvo de campanhas de desinformação antes destes acontecimentos. Sua equipe até se manifestou em uma nota, culpando torcidas de outros competidores por notícias falsas que foram espalhadas nas redes.

"Estamos vendo em nosso país o perigo e as consequências das fake news e acreditamos que devemos lutar contra isso. Não acreditem em apenas uma fonte, não acreditem em manchetes sensacionalistas e não compartilhem notícias sem que tenham lido", diz trecho da nota.

O buraco é fundo porque muitos sites e perfis de Instagram, em busca das interações do volume gigantesco de tudo que envolve o nome Juliette, tentam capitalizar engajamento no "hate" (ódio) a João.

Como o BBB tudo muda muito rápido, o professor tem pouco mais de uma semana para tentar reverter a situação. Enquanto sua equipe combate fake news, quem sabe ele faça as pazes com Juliette e, assim, fique mais tempo dentro da casa. Ele merece.

Alexandre Orrico

Foi repórter e editor da seção de tecnologia da Folha entre 2009 e 2015. Colaborador da Folha, hoje trabalha para a ICFJ (International Center for Journalists) e edita o Núcleo Jornalismo.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem