Alexandre Orrico

BBB 21: Saída de Sarah deve ser após a de Rodolffo para o bem do programa

No Paredão, eles disputam preferência do público com Juliette

Rodolffo e Sarah - Fabio Rocha/Globo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

No paredão formado por Juliette, Sarah e Rodolffo, a eliminação ficará com certeza entre os dois últimos. E se redes sociais e enquetes de portais forem um termômetro confiável (geralmente são), quem sai nesta terça (30) é a brasiliense. Porém, sem querer passar pano para Sarah, é o sertanejo quem precisa sair antes.

No Twitter, as torcidas se esgoelam na puxação de votos contra os dois e enumeram os motivos que justificam a eliminação de um ou de outro: Sarah com frequência debocha da pandemia e suas vítimas. Rodolffo foi homofóbico e, como bem lembrou Camilla de Lucas neste domingo (28), foi muito machista quando discursou para indicar Carla Diaz ao paredão falso.

Por essas e por outras não restam dúvidas de que ambos merecem ser eliminados. Mas mais do que os motivos para excluir alguém, precisamos olhar para como a casa ficará após a eliminação. Nesse sentido, a permanência do Rodolffo parece mais prejudicial.

O cantor goiano vem se achando demais desde que venceu o paredão contra Carla e já disse "que tem certeza" que o povo pegou ranço de Gilberto por causa disso. Se ganhar outra vez, ficará insuportavelmente convencido. As pessoas vão ficar com medo de votar nele e podemos ter o desprazer de vê-lo por mais algumas semanas na casa por causa disso.

Por outro lado, Sarah já está eliminada. Assim como Karol e Projota, a rejeição contra ela chegou a níveis insustentáveis e suas redes não param de perder seguidores. É questão de tempo até que ela saia. Então é melhor dar uma semana para ela do que correr o risco de dar várias para Rodolffo.

Além disso, vai ser interessante ver o desenvolvimento de Caio sem seu bastião e a novela Sarah x Juliette merece pelo menos mais um capítulo. Uma coisa é certa: neste paredão Juliette está tranquilíssima e só tem a temer um adversário a longo prazo: sua própria torcida. Mas isso é assunto para outra coluna…

Alexandre Orrico

Foi repórter e editor da seção de tecnologia da Folha entre 2009 e 2015. Colaborador da Folha, hoje trabalha para a ICFJ (International Center for Journalists) e edita o Núcleo Jornalismo.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem