Cinema e Séries

Animação 'Abominável' é retirada de cinemas no Vietnã devido a polêmica com China

Cena do longa mostra mapa com 'linha de nove raias', declarada unilateralmente pela China

Cena do filme 'Abominável'
Cena do filme 'Abominável' - Divulgação
Khanh Vu Phuong Nguyen

O Vietnã retirou a animação “Abominável” de seus cinemas por causa de uma cena na qual um mapa mostra a “linha de nove raias”, declarada unilateralmente pela China, noticiou a mídia estatal nesta segunda-feira (14).

A linha, em forma de U, consta em mapas chineses para ilustrar suas reivindicações sobre trechos do Mar do Sul da China –entre eles, porções amplas que o Vietnã considera como sua plataforma continental, onde concedeu permissões para prospecção de petróleo.

Há meses a China e o Vietnã estão enredados em um impasse sobre rotas marítimas em disputa, já que no início de julho a China despachou uma embarcação para realizar uma pesquisa de energia em águas controlada pelo Vietnã.

“Nós a revogaremos [a licença do filme]”, disse Ta Quang Dong, vice-ministro da Cultura, dos Esportes e do Turismo, segundo o jornal Thanh Nien. O ministério está encarregado de autorizar e censurar filmes estrangeiros.

“Abominável”, que conta a história de uma menina chinesa que descobre um ieti morando em seu telhado, foi coproduzido pelo Pearl Studio de Xangai e pela DreamWorks Animation, e estreou nos cinemas vietnamitas em 4 de outubro.

O filme foi retirado no domingo (13) depois que imagens da cena com o mapa foram amplamente compartilhadas em redes sociais.

Uma porta-voz da CJ CGV Vietnam, a maior rede de cinemas do país e uma unidade da sul-coreana CJ CGV, não quis comentar.

Uma recepcionista do estatal Centro Nacional de Cinema de Hanói disse que o Ministério da Cultura emitiu uma ordem exigindo que todos os cinemas vietnamitas parem de exibir o filme por causa da cena do mapa.

Ligações para Nguyen Thu Ha, chefe do departamento de cinema do Ministério da Cultura, não tiveram resposta nesta segunda-feira.

Reuters
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem