Cinema e Séries

Bilheteria: 'Shazam!' mantém-se no topo, e 'Little' vence 'Hellboy'

Filme alcançou R$ 363 milhões com segundo final de semana

Cena de 'Shazam!', de David F. Sandberg
Cena de 'Shazam!', de David F. Sandberg - Divulgação

Los Angeles

A aventura de super-herói “Shazam!” da Warner Bros manteve a sua bilheteria doméstica na primeira posição pelo segundo fim de semana consecutivo.

“Shazam!” acrescentou mais US$ 25 milhões (R$ 96,7 milhões) em seu segundo fim de semana, elevando o seu total na América do Norte a US$ 94 milhões (R$ 363,5 milhões) . Foi o suficiente para superar os estreantes, que incluíram a comédia da Universal “Little”, o remake do Lionsgate “Hellboy” e a animação da Lakai, “Missing Link”.

Enquanto “Shazam!” continua a seduzir fãs de histórias em quadrinhos, “Hellboy” não teve a mesma sorte.

O filme de fantasia classificado como não recomendado para menores de 17 anos, baseado nas novelas gráficas de Mike Mignola, estreou abaixo das expectativas com US$ 12 milhões (R$ 46,4 milhões) em 3.303 locais.

Neil Marshall dirigiu o reboot de “Hellboy”, com o ator de “Stranger Things”, David Harbour, no papel do super-herói de pele vermelha. O filme foi alfinetado pela crítica e pelo público.

Homens representaram 56% do público do fim de semana de estreia de “Hellboy”, e 64% das pessoas que foram ao cinema tinham mais de 25 anos. A Lionsgate adquiriu os direitos nos EUA e no Reino Unido para “Hellboy” da Millennium Media, que financiou o filme. Guilherme del Toro, que dirigiu os dois filmes originais com Ron Perlman, não esteve envolvido na adaptação mais recente.

A venda de ingressos de “Hellboy” não foram suficientes para assegurar o segundo lugar da bilheteria. A honra ficou com “Little”, comédia sobre uma magnata da tecnologia (Regina Hall) que se transforma em uma versão de si mesma aos 13 anos (Marsai Martin) logo antes de uma importante apresentação de trabalho.

Apesar de resenhas divididas, gerou US$ 15 milhões (R$ 58 milhões) quando foi lançado em 2.667 locais. A Universal gastou US$ 20 milhões (R$ 77,3 milhões) para produzir “Little”. Martin, que criou a premissa do filme, é a produtora-executiva mais jovem da história. 

Reuters
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem