Carnaval

Tendência de Carnaval, tiaras vão de constelação a recados divertidos; veja modelos

No comércio popular de São Paulo, peças são vendidas em lojas e nas ruas

A arquiteta Geysa Trevisani, que faz tiaras de Carnaval para vender Robson Ventura - 21.fev.19/Folhapress

São Paulo

A Jenifer que você 'encontrou' no Tinder pode não estar mais tão em alta nas paradas de sucesso quanto no começo do ano, quando o hit estourou. Mesmo assim, a musa da música do cantor Gabriel Diniz promete marcar presença no Carnaval de 2019 de outro jeito... Em tiaras divertidas. 

Isso não significa que quem já tiver enjoado da Jenifer "que faz umas paradas" (como diz a letra da canção) precise ficar de fora da moda da vez. As tiaras temáticas para a folia contemplam uma grande gama de modelos, tamanhos e cores diferentes.

Há versões mais clássicas e conhecidas das folionas, como a de flores e as de unicórnio, além daquelas, digamos, mais excêntricas, como as tiaras de constelação, de olho grego e de baralho de cartas. Uma opção para quem ainda não definiu a fantasia para a folia é adquirir o adorno de cabeça pela internet —a tiara é um item acessível e prático que, mesmo sozinho, já caracteriza uma fantasia.

Desde o começo do ano, a arquiteta Geysa Trevizani vende tiaras de Carnaval pelas redes sociais. A ideia de criar a lojinha no Instagram, que em menos de um mês acumulou quase 4.000 seguidores, veio da necessidade de complementar o orçamento, já que ela estava desempregada. "Sou arquiteta, então pensei em usar a arte para alguma coisa e tive a ideia das tiaras. As pessoas mandavam temas e eu ia fazendo."

Tem de girassol, de cacto, de astrologia –feita com desenhos de estrelas e planetas– e do que mais a criatividade da cliente quiser. Mas sua favorita é a de flamingo inflável em tom rosa neon que serve ainda de suporte para um copo reutilizável.

 "E tem tiara para usar em dupla, como a de arco-íris em que uma fica com a nuvem e a outra com o pote de ouro", afirma Trevizani. "Eu sempre gostei de Carnaval, desde criança. Frequentava clubes e usava fantasias feitas com ajuda da minha minha avó. Uma vez até ganhei um troféu pela criatividade."

Nas ruas do entorno da região da 25 de Março, centro de comércio popular de São Paulo, é possível encontrar peças prontas a partir de R$ 10, em lojas físicas e nas mãos de vendedores ambulantes. Por lá, dominam as tiaras com frases divertidas e gírias como "Oi, sumido", "Plena", "Deus me Livre, mas Quem me Dera" e "Piscininha Amor", entre outras. 

Populares também são as versões do arco de cabeça com temática sereia, que levam conchas, búzios, estrelas-do-mar e pérolas, e com desenhos de frutas –a preferida das compradoras é a de abacaxi, segundo vendedores. ​

É também na 25 de Março que a estudante Tuanny Alamino compra os materiais para fazer as tiaras que cria e vende online. “Comecei a fazer no ano passado porque estava desempregada. Agora, mesmo trabalhando, voltei a produzir”, afirma ela, que já enviou suas peças para diferentes cantos do Brasil como Olinda (PE) e Balneário Camboriú (RS). 

"Meu pai, minha mãe, meu namorado, meu tio, toda minha família me ajudam. É um trabalho que envolve bastante dedicação e paciência. Eu acho muito importante a gente ter um hobby. Então fazer as tiaras é o meu hobby", diz a estudante.   

Outra foliona que aderiu à ideia de fazer e vender tiaras de Carnaval foi a designer Dai Dalfito. "Eu fiz a primeira vez há dois anos, meio que de brincadeira. Peguei algumas coisas que tinha em casa, uma tiara antiga e montei. Fui para o Carnaval, mostrei para amigas e elas ficaram enlouquecidas."

Hoje ela desenvolve peças únicas para cada cliente. Neste ano, suas tiaras tiveram inspiração "glam" e temática que aproveita a febre do neon, que tem cores em tons flúor. Únicas, 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem