Celebridades

"Espero que certas pessoas estejam com dor de cotovelo", diz Narjara Turetta

No ar em "Morde e Assopra", como Lílian, a atriz Narjara Turetta, 45, diz que guarda o carrinho de coco, seu ganha pão durante os anos em que esteve longe das novelas.

A atriz também guarda o preconceito que sofreu enquanto trabalhava pelas ruas de Copacabana, zona sul do Rio. Até a mãe dela já foi agredida.

"Sofri, mas não sofria calada. As pessoas não têm respeito. Acham que a rua é pública e podem fazer o que quiserem. Descobri um lado muito frio do ser humano. Espero que essas pessoas estejam morrendo de dor de cotovelo agora", diz a atriz.

A fase difícil de Narjara começou após interpretar Alessandra, em "Gente Fina", de Luís Carlos Fusco, em 1990. A partir daí, a atriz não foi mais convidada para fazer novelas.

"Era chato não ser chamada. Estava no auge da carreira e a casa teve boas novelas. De repente o fato de estar contratada passava confiança para eles. E ninguém dava um motivo, só falava para aguardar. Eu ficava triste por não estar atuando, mas nunca com ninguém. Nunca nenhum diretor ou autor me disse 'não' com todas as letras", lembra.

Quando o contrato com a emissora acabou, em 1998, e as contas começaram a chegar, uma conhecida sugeriu que Narjara vendesse água de coco.

"Consegui o carrinho pela internet em 2002 e comecei a vender em uma rua próxima à praia de Copacabana. Parei por um ano para cuidar do gabinete de um político, voltei e depois parei de vez em julho de 2010."

Narjara diz que, agora, pensa em doar o carrinho. "Por enquanto vou deixar no cantinho pra ver os acontecimentos", afirma ela.

Narjara deixou de vender água de coco na mesma época em que recebeu o convite de Walcir Carrasco para participar do folhetim das 19h.

Crédito: João Miguel Júnior/Divulgação Narjara Turetta
Nas ruas, descobri um lado muito frio do ser humano, diz Narjara Turetta

CONFUSÃO PELO TWITTER

"A Lílian foi um presentão que recebi do Walcir. Às vezes falava com ele pelo Twitter até que um dia lhe desejei 'boa noite' e ele respondeu: 'Você terá uma surpresa'. Três dias depois a produtora de elenco ligou dizendo que ele tinha escrito um papel pra mim", conta, emocionada.

Foi também pelo Twitter que os dois acabaram se estranhando. Ansiosa pela estreia, Narjara mandou uma mensagem para o autor lamentando a demora para a aparição de sua personagem. Aparentando irritação, o autor disse que o microblog não era lugar para reclamação.

"Não reclamei e ele achou que sim, mas conversamos por e-mail e nos aproximamos ainda mais depois desse episódio", diz.

Confusão desfeita, a personagem Lílian apareceu e cresceu a cada dia. "Ela começou pequenininha, mas depois foi maravilhoso. Acho que não existem papeis pequenos, e sim bons atores".

Narjara se diz muito feliz com a Lílian e torce para terminar o folhetim acompanhando a filha Alice (Marina Ruy Barbosa) em seu casamento com Guilherme (Klebber Toledo).

"Espero que eles se acertem e que a Minerva [Elizabeth Savala] fique pobre."

Narjara ainda não tem convites para outras novelas, mas começa a filmar, em breve, o curta "Anos 90", dirigido por José Del Duca. Ela será a diretora de uma escola onde acontecerá um concurso de lambada.

A atriz também está escrevendo um livro sobre sua trajetória, sem previsão de lançamento.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias