Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Celebridades

Luisa Mell é internada após ter convulsão: 'Não sei se consigo viver assim'

Ativista animal diz ter caído de costas no chão e foi levada ao hospital

Luisa Mell - Instagram/luisamell
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A ativista animal Luisa Mell, 43, caiu de costas no chão e diz ter tido uma convulsão. Ela foi encaminhada para um hospital de onde fez alguns vídeos para explicar o que aconteceu.

"Vocês acreditam numa coisa dessas. Fui internada ontem, tive uma convulsão. Caí no show, bati as minhas costas. Não sabem ainda o que é, mas também é muito estresse, gente. Não sei se consigo viver assim, todo mês implorando", disse ela.

Na sequência, começou a chorar e afirmou que não estava tão bem emocionalmente. "O Brasil inteiro me pede para eu salvar cachorro. Quando não salvo, falam que eu sou uma farsa. Não aguento mais. Não posso me matar deste jeito", disse.

Não é de hoje que a ativista se sente mal e sofre na parte emocional. Em julho de 2021, ela contou ter sido vítima de violência médica em dezembro de 2020.

"Sofri uma violência médica e não consigo superar. Meu dermatologista me falou sobre um laser novo, disse: ‘você não gosta de colocar nada para não ficar artificial, este é perfeito para você. Faço aqui no consultório, mas chamo um anestesista por segurança’", contou Mell.

Ela aceitou realizar o procedimento e, quando acordou, descobriu que o médico tinha feito uma outra intervenção sem a sua autorização. "Ele disse: ‘te dei de presente uma lipoaspiração nas axilas. Você tinha muita gordura, não dava’. Sim, ele fez uma cirurgia estética em mim sem minha autorização", disse a apresentadora.

Luisa Mell contou que ainda vive com os efeitos da violência. "Destruíram meu amor-próprio porque eles acharam que eu podia ficar melhor", reclamou.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem