Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Celebridades
Descrição de chapéu Folhajus

Termina interrogatório de Johnny Depp em julgamento contra sua ex-esposa

Ator e Amber Heard se enfrentam em tribunal em Virgínia, nos Estados Unidos

Ator Johnny Depp em tribunal em Virgínia, nos Estados Unidos
Ator Johnny Depp em tribunal em Virgínia, nos Estados Unidos - Steve Helber/AFP
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo
AFP

O ator americano Johnny Depp, 58, mostrou-se irritado nesta segunda-feira (25), ao concluir seu interrogatório no julgamento por difamação contra sua ex-esposa, Amber Heard, 36, que ele apresentou depois que ela o acusou de violência doméstica.

No oitavo dia de audiências do processo, em um tribunal em Virgínia, nos Estados Unidos, foram reproduzidas gravações de discussões acaloradas do casal. "Cale-se, gorda", diz o astro de "Piratas do Caribe", a Heard em uma gravação.

Em outro áudio, Heard, protagonista no filme "Aquaman", acusa Depp de "agredi-la". Ele nega ter abusado fisicamente de Heard, afirmando que era ela quem agia frequentemente com violência.

Depp apresentou uma ação por difamação contra Heard por uma coluna que ela escreveu no jornal The Washington Post, em dezembro de 2018, na qual descreveu ter sofrido "abuso doméstico". Ela nunca citou o ator, mas ele a processou por insinuar ser um abusador e pede 50 milhões de dólares em danos. Heard contra-atacou, pedindo 100 milhões de dólares e alegando que sofreu "violência física e abuso desenfreado" da parte dele.

Os advogados de Heard perguntaram muito a Depp sobre seu consumo de drogas e álcool durante os três dias em que ele se sentou no banco dos réus. "Se alguém teve um problema com minha forma de beber, em algum momento da minha vida, fui eu", disse. "A única pessoa de quem abusei na minha vida foi de mim mesmo".

O advogado de Heard, Ben Rottenborn, também tentou convencer o júri de sete pessoas que acompanha o caso que as acusações contra Depp eram anteriores ao artigo no The Washington Post.

Rottenborn destacou que Heard havia apresentado uma ordem de restrição temporária contra Depp em Los Angeles, em maio de 2016, na qual alegou abuso e citou várias manchetes jornalísticas.

Depp respondeu que todas estas notas tentavam influenciar a opinião pública, apresentando informação falsa ou enviesada. Também diminuiu a importância da linguagem dura que usou para descrever Heard em mensagens de texto enviadas a vários amigos. "É só humor irreverente e abstrato", disse.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem