Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Celebridades

Cardi B mostra fios naturais nas redes e diz: 'Não existe cabelo ruim'

Rapper desabafa sobre as falas racistas em relação à textura dos fios

Rapper Cardi B
Rapper Cardi B - Instagram/iamcardib
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Cardi B, 29, publicou um desabafo neste sábado (13) no Instagram sobre as falas racistas que tem ouvido com relação à textura do seu cabelo natural por ser birracial. Ela postou fotos e vídeos de seus fios naturais em várias fases da vida.

"Por que toda vez que posto meu cabelo natural eu ouço 'você é birracial, você deveria ter cabelo comprido'? Isso não é verdade e muito enganador", disse a rapper.

Cardi B falou que vem postando fotos da sua jornada capilar há anos. Segundo ela, ser birracial não significa que o cabelo seja sempre longo e encaracolado.

A cantora revelou que enfrenta questões com o cabelo desde a infância, mas que tem aprendido a cuidar deles com cosméticos específicos para fios enrolados.

"Há alguns anos, descobri diferentes métodos que funcionam para mim e agora olho para o meu comprimento. Eles vão tentar nos fazer acreditar que nosso cabelo não vai crescer tanto, não é verdade."

A rapper explicou que muitos produtos que usava antigamente não eram bons para seu, mas era tudo o que tinha para escolher e não tinha dinheiro para ir ao salão regularmente."

"Agora todo mundo está tendo melhores opções, bons produtos acessíveis e aprendendo no YouTube e TikTok sobre como cuidar melhor de nossos cabelos", completou.

Cardi B terminou o desabafo encorajando as mulheres a amarem seus fios. "Eu quero que as mulheres de cor com padrões de cachos mais enrolados saibam que não têm 'cabelo ruim'. Não existe cabelo ruim, e cabelo 'bom' não significa uma certa textura. Todo cabelo é bom", enfatizou a artista.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem