Celebridades
Descrição de chapéu surfe

Italo Ferreira relata ameaça de bomba em seu voo: 'Que loucura'

Felizmente, nada foi constatado e ele já está à salvo

Cena do documentario "A Curiosa História de Italo Ferreira" - Reprodução
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Campeão olímpico, o surfista Italo Ferreira, 27, relatou em suas redes sociais que o voo no qual estava tinha uma suspeita de bomba. Felizmente, nada aconteceu e ele já está à salvo.

Tudo aconteceu dentro do avião que o atleta pegaria no Aeroporto Internacional de Miami, nos Estados Unidos. Segundo ele, todos tiveram de deixar a aeronave.

“Última coisa que eu iria imaginar era que no meu voo teria uma ameaça de bomba. Tivemos que sair da aeronave para as autoridades locais tomarem todas as providências necessárias. Que loucura”, escreveu.

No Twitter, o atleta disse em seguida que “só queria comer” e que, algum tempo depois, qualquer ameaça tinha sido descartada. “Estão dizendo que não foi nada. Quem tem… tem medo, né?”, postou.

Italo estava nos Estados Unidos para a disputa da Liga Mundial de Surfe em Trestles. Porém, ele acabou perdendo a disputa contra o também brasileiro Filipe Toledo, o Filipinho. Na final, Gabriel Medina se sagrou campeão.

O surfista acaba de ganhar um documentário sobre sua trajetória. A prancha de isopor, o sonho de ser campeão mundial, as dificuldades enfrentadas ao longo de sua trajetória e, sobretudo, a importância das ondas de Baía Formosa (Rio Grande do Norte) são elementos que costuram a narrativa do documentário “A Curiosa História de Italo Ferreira”, lançado nesta quarta-feira (8) na Red Bull TV.

O filme pode ser dividido em três partes, e é na primeira que é dado o tom da narrativa, em duas frentes: a construção da ideia de que o surfista brasileiro vem de uma cidade pequena e pacata e a pesquisa sobre a infância e a juventude dele.

Filmado durante cerca de um mês em 2021, o documentário conta a história de Italo a partir de Baía Formosa, a pequena cidade litorânea voltada à pesca, onde ele nasceu e aprendeu a surfar.

Para tal, o documentário adota o ponto de vista de pessoas do local: os pais do atleta, um vendedor de lanches, jovens surfistas e, sobretudo, os amigos. Buxexa, um de seus mais antigos parceiros, é o narrador.

A narrativa reconstrói uma espécie de história oral sobre a juventude e o início da carreira do potiguar, por meio dos relatos dos personagens, com algumas poucas falas do próprio atleta.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem