Celebridades

Famosos lamentam a morte de Paulo José e exaltam qualidades do ator

'Um dos maiores atores brasileiros de todos os tempos', avalia Patricia Pillar

Paulo José - TV Globo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A morte de Paulo José, aos 84 anos, deixou os colegas do mundo artístico em luto. Vários usaram as redes sociais para manifestar o pesar e também para exaltar as qualidades do ator, que morreu nesta quarta-feira (11) em decorrência de uma pneumonia.

Patricia Pillar, 57, que trabalhou com ele no filme "Pequenas Histórias", disse que o colega era "um dos maiores atores brasileiros de todos os tempos". "Ser humano generosíssimo e um ator brilhante. Seus personagens podiam ser leves e profundos ao mesmo tempo. Um artista gigante!"

Já Leandra Leal, 38, que contracenou com o ator em "Explode Coração", o chamou de "mestre dos mestres". "Na família que criamos nessa profissão, muitos são os pais, muitas são as filhas. Paulo foi o meu primeiro pai na ficção", lembrou. "Eu me lembro com riqueza dos seus ensinamentos."

Na terça-feira (10), Selton Mello, que foi colega de Paulo José no filme "O Palhaço", havia usado as redes sociais para dedicar o trabalho dele em "Nos Tempos do Imperador", novela das 18h da Globo, ao amigo, a quem chamou de "maior mestre".

"[Foi] o ator que me mostrou a maneira de imprimir o máximo, com o mínimo de recursos", comentou. "Ele me abriu portais. Meu amor por ele é gigante. Paulo, eu faço meu trabalho pensando sempre como você faria. Te amo."

Após o anúncio da morte, Mello voltou a homenagear o amigo. "Você foi tantos, divertiu e comoveu tantos
Você me guiou, me encantou, me transbordou", escreveu. "Inspirou tantas pessoas, uma honra ser uma delas. Você é eterno."

A ex-atriz mirim Cecilia Dassi, que viveu a Sandrinha em "Por Amor", também se manifestou nas redes sociais. "O sucesso da Sandrinha e do Orestes não teria sido possível se ele não tivesse me conquistado e criado um ambiente tão agradável nas gravações", disse. "[Paulo] vivia inventando brincadeiras e gestos que tornavam crível e orgânica a intimidade de pai e filha."

"Lembro de quando o vi com maquiagem simulando machucados, gravando uma cena em que havia sido agredido", continuou. "Comecei a chorar por vê-lo ferido e a equipe precisou me mostrar que era só maquiagem."

"O afeto que transbordava na tela não era encenação, era real", garantiu. "Que honra a minha. Que possamos honrar sua vida e jamais esquecer do seu talento e da sua beleza."

Paulo José estava internado havia 20 dias em um hospital no Rio de Janeiro. No cinema, ele ficou célebre por protagonizar filmes como "Todas as Mulheres do Mundo", de Domingos Oliveira, "Macunaíma" e "O Padre e a Moça", de Joaquim Pedro de Andrade.

VEJA A REPERCUSSÃO DA MORTE DE PAULO JOSÉ:

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem