Celebridades

Filho biológico de Cid Moreira também acusa pai de não querer tê-lo como herdeiro

'Não entendo que raiva ele pode ter de mim', diz Rodrigo Moreira

homem de cabelos brancos sentado diante de mesa com livros
Cena do documentário "Boa Noite", sobre o apresentador Cid Moreira - Divulgação
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Parece que há uma grande crise na família do ex-apresentador Cid Moreira, 93. Depois de ser acusado de deserdar o filho adotivo, agora ele tem sido alvo do herdeiro biológico, Rodrigo Moreira, que afirma que Cid não quer ser pai dele.

Em entrevista ao Balanço Geral (Record), Rodrigo, fruto do relacionamento do pai com Olga Verônica Radenzev Simões e que hoje é comerciante no interior de São Paulo, diz que entrou em 2006 com um processo contra Cid por abandono no valor de R$ 1 milhão.

“Ele não quer ser meu pai. Eu perdi o processo e não quis mais mexer nessa ferida”, diz. A pensão, porém, foi paga por Cid até o rapaz fazer 18 anos mesmo ambos não tendo relação.

Aos seis e aos nove anos, Rodrigo encontrou o pai, mas eles nunca chegaram a ter um momento de proximidade. Por volta dos 35 anos, num enterro da tia e irmã de Cid, os dois se viram de novo, mas mais uma vez sem contato.

“Esse assunto me machuca demais, é parte da minha vida que eu gostaria de enterrar, mas não tem como”, comenta. Ele revela que faz tratamento psicológico até hoje por causa do que ele chama de “sequelas” desse caso.

“Relembrando tudo isso eu não me sinto bem. Me machuca, não entendo que raiva ele pode ter de mim. Nunca fiz nada para ele”,
emenda.

Apesar de tudo isso, Rodrigo afirma que tem vontade de ter um pai, mesmo que ele ache isso “impossível”. Na entrevista, revelou que queria sentir o abraço de Cid.

“Gostaria do impossível, que seria ele me abraçar, sair comigo e eu saber um pouco dos gostos dele, do que ele gosta de comer. Uma convivência de pai para filho”, finalizou.

Procurado, Cid Moreira, por meio de sua assessoria, diz que não comentará o assunto.

FILHO ADOTIVO RECLAMA DO PAI

Dias antes, o cabeleireiro Roger Felipe Moreira, filho adotivo de Cid Moreira, contou ao mesmo Balanço Geral que foi deserdado pelo pai. O ex-apresentador do Jornal Nacional (Globo) também teria dito que havia cometido “um engano” ao adotá-lo.

Exibida na terça-feira (13), a reportagem mostrou um documento que teria sido enviado ao rapaz pelo locutor. “Você continua sendo meu filho adotivo porque não consegui reverter a adoção”, diz o texto. ”[Mas] fiz um documento e deserdei você.”

“Escrevi de próprio punho e assinei”, continua. “Juntei pareceres de profissionais da saúde para provar que não estou senil. Foi um engano te adotar. Fico feliz em saber que você está sendo capaz de se manter”, encerra o documento.

Roger Felipe é sobrinho da ex-mulher de Cid Moreira, Ulhiana Naumtchyk. Ele foi adotado após uma temporada de férias na casa dos tios e passou a morar com eles depois.

Porém, ele diz que a relação mudou quando ele assumiu um namoro. “Com 28 anos, conheci uma pessoa que foi o meu primeiro amor”, disse. “Comuniquei querer viver minha vida e fazer coisas que eu não costumava fazer. Minha vida era de dedicação 24 horas ao Cid. A partir daí, as coisas começaram a mudar”, disse.

“Tudo foi retirado. Até o apartamento onde eu morava, que foi me dado, foi retirado. O estúdio que ele fez para mim, que era uma coisa para o meu futuro, para eu ter um rendimento.”

Cid Moreira não se pronunciou sobre o caso, mas a atual mulher dele, Fátima Moreira, falou sobre o assunto nas redes sociais nesta quarta-feira (14). Ela disse que o locutor não pode comentar porque o caso envolve segredo de Justiça.

“Cheguei na vida do Cid em 2000, nos conhecemos no Ceará e esse moço [Roger] estava com ele, ainda não era adotado”, contou. “Já era um moço adulto e fazia dois anos que ele [Cid] havia se separado da tia desse rapaz.”

Na visão dela, “ele foi adotado adulto, não foi abandonado bebê pelo Cid”. Fátima afirma que os dois se distanciaram após Cid precisar fechar seu estúdio de gravações, no qual Roger trabalhava.

O filho adotivo acabou processando o pai e teria pedido R$ 1 milhão de indenização. O processo foi perdido pelo cabeleireiro e, desde então, os dois não se falam mais.

“Agora ele está processando o Cid de novo e está falando de amor”, disse. “Sinto muito por tudo isso. Cid [está há] 74 anos trabalhando, pagando as contas dele, digno, muito correto.”

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem