Celebridades

Saúde de Paulo Gustavo se deteriorou após embolia: 'Irreversível'

Humorista ainda se encontra com sinais vitais presentes, dizem médicos

Paulo Gustavo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Os médicos consideram o estado de Paulo Gustavo, 42, irreversível, segundo o boletim médico divulgado pela assessoria de imprensa dele, na noite desta terça-feira (4). O ator e humorista está internado desde o dia 13 de março por complicações da Covid-19.

Ele vinha apresentando sinais de recuperação, mas acabou voltando a apresentar piora em seu estado de saúde no último domingo (2), quando teve uma embolia gasosa que se disseminou inclusive para o sistema nervoso central. Desde então, o estado clínico dele é considerado "instável e de extrema gravidade".

"Após a constatação da embolia gasosa disseminada ocorrida no último domingo, em decorrência de fístula brônquio-venosa, o estado de saúde do paciente vem deteriorando de forma importante", diz o mais recente boletim médico. "Apesar da irreversibilidade do quadro, o paciente ainda se encontra com sinais vitais presentes."

Também por meio da assessoria de imprensa de Paulo Gustavo, a família do ator segue agradecendo todo o carinho dos fãs e pedindo orações dirigidas a ele e às demais pessoas acometidas "por essa doença terrível".

A humorista e amiga de Paulo, Tatá Werneck, 37, desmentiu na tarde desta terça-feira (4) que o artista tivesse morrido, como chegou a circular na internet. "A situação do Paulo é muito grave. Mas ele está vivo. Parem. Parem de querer ganhar likes em cima dele", escreveu a atriz no Twitter. "Nesse momento ele está vivo. Deixem o Paulo em paz. Deixem meu amigo em paz!", completou.

Diversos amigos e admiradores do artista têm se manifestado nas redes sociais. Além da própria Tatá, famosos como Mônica Martelli e Carolina Dieckmann têm pedido orações pela recuperação dele.

"Você representa vida. Como a vida é difícil e dura sem suas tiradas hilárias, suas histórias, suas ideias, sua genialidade em olhar o mundo. Sem a sua alegria e sua gargalhada não dá para viver. Vem! Estamos te esperando! A força do amor por você que uniu esse país é gigantesca e está indo toda para sua recuperação", escreveu Martelli.

Paulo Gustavo Amaral Monteiro de Barros nasceu em Niterói, no Rio de Janeiro, em 30 de outubro de 1978. Ele se formou em artes cênicas em 2005 pela Casa de Artes Laranjeiras, na capital fluminense, tendo como colegas de turma nomes como Fábio Porchat e Marcus Majella.

O ator criou a desbocada Dona Hermínia inspirado em sua própria mãe, Déa Lúcia Vieira Amaral. A personagem surgiu em 2004 na estreia profissional de Paulo Gustavo, mas ganhou espetáculo próprio dois anos depois. Tratava-se do monólogo “Minha Mãe É Uma Peça”, que rodou pelo Brasil durante anos e depois ganhou uma adaptação de sucesso nos cinemas.

Na televisão, ele fez participações pontuais em novelas e séries cômicas, até ganhar o programa, “220 Volts” (2011-2016), em que interpretava diversos personagens, no Multishow. No canal pago, também fez parte do elenco do humorístico "Vai Que Cola", que também vem sendo exibido na TV aberta.

HISTÓRICO

Paulo Gustavo está internado há mais de 40 dias. A informação foi divulgada pela assessoria de imprensa do artista no dia 15 de março, dois dias depois de ele ser internado. Na ocasião, o marido dele, Thales Bretas, disse que ele estava melhorando e agradeceu o carinho dos fãs. O ator é pai de dois meninos.

Pouco mais de uma semana após a internação, no dia 21 de março, o ator precisou ser intubado porque estava com dificuldade para respirar. Na época, foi divulgado que o procedimento era uma precaução e Bretas disse que era "mais um passo na cura da infecção".

"[Paulo] foi sedado e intubado para que a cura consiga se estabelecer nos seus pulmões sem cansá-lo tanto com a falta de ar que o incomodava", disse. "Estou calmo, confiante e tenho certeza de que será um passo importante para a melhora completa do nosso guerreiro!!! Ele que é jovem, saudável, sem comorbidades e supercuidadoso, está passando por isso."

O ator respondeu bem ao tratamento e teve uma evolução positiva nos dias seguintes. Porém, no dia 2 de abril, o estado de saúde dele piorou. Ele acabou precisando mudar de tratamento e passou a respirar com a ajuda de ECMO (Oxigenação por Membrana Extracorpórea), uma espécie de pulmão artificial usado apenas em casos mais graves.

Dois dias depois, Paulo Gustavo precisou passar por uma pleuroscopia, para que a equipe médica pudesse verificar a condição de seus pulmões. Na ocasião, foi identificada uma fístula broncopleural, espécie de comunicação anormal entre os brônquios e a pleura. Ela foi corrigida.

Em 7 de abril, o marido de Paulo contou que o ator teve que receber uma transfusão de sangue. Segundo ele, devido ao ECMO, o paciente ficou "anticoagulado" e perdeu "um pouco de sangue". "Por isso precisou tomar algumas bolsas de sangue", explicou. Na mesma publicação, ele também incentivou as pessoas a irem doar sangue.

Porém, dias depois foi realizada uma toracoscopia, na qual uma nova fístula broncopleural foi identificada e corrigida. De acordo com comunicado da assessoria de imprensa do humorista, o procedimento foi um sucesso.

No dia 11, o boletim médico dizia que a situação clínica do ator continuava crítica. "Todos os profissionais têm se empenhado incessantemente pela sua recuperação", diz a nota publicada nas redes sociais.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem