Celebridades

Olavo de Carvalho vai pagar R$ 2,9 milhões a Caetano Veloso

Escritor pode entrar com novo recurso na Justiça

Cantor e compositor Caetano Veloso
Cantor e compositor Caetano Veloso - Aline Fonseca/Divulgação
São Paulo

A Justiça do Rio negou novo recurso do guru bolsonarista e escritor Olavo de Carvalho, 74, que alega não ter como pagar ao cantor Caetano Veloso, 78, uma multa acumulada de R$ 2,9 milhões por conteúdo ofensivo contra o artista. Cabe recurso da decisão.

A ação começou em 2017 quando Carvalho publicou mensagens nas redes sociais chamando o cantor de “pedófilo”. A advogada Clara Leite, que defende Caetano, explica que foi preciso entrar com uma carta rogatória na Virgínia (EUA) onde Carvalho tem residência para fazer a intimação.

Mesmo com as decisões da Justiça favoráveis a Caetano, o escritor se recusou a apagar as publicações nas redes sociais e as multas cobradas por dia pelo conteúdo ofensivo foram aumentando até chegar nos R$ 2,9 milhões.

Carvalho já entrara outras vezes com recursos para não pagar as multas contra o cantor e perdeu. Apesar desta nova decisão da Justiça, a disputa entre Carvalho e Caetano ainda não chegou ao fim. O guru do presidente pode entrar na Justiça com mais recursos para evitar o pagamento das multas.

Essa é só mais uma disputa entre ambos. Em 2019, o escritor Olavo de Carvalho registrou uma queixa-crime contra Caetano Veloso após artigo publicado pelo músico na Folha. ​O documento pedia que Caetano respondesse pelos crimes de calúnia, difamação e injúria.

O advogado de Olavo, Francisco Carlos Cabrera, que assina a petição, refere-se ao músico como “canalha”, “delinquente travestido de colunista”, e diz que Caetano alega ter sido exilado (durante a ditadura), “mas nunca mostrou um documento”.

Olavo de Carvalho alega que o artista teria ofendido sua honra ao publicar artigo na Folha em outubro do ano passado. No artigo em questão, o músico baiano critica uma postagem de Olavo feita nas redes sociais pouco antes do segundo turno das eleições.

“Olavo de Carvalho sugere em texto que, caso Bolsonaro se eleja, imediatamente à sua posse seus opositores sejam não apenas derrotados, mas totalmente destruídos enquanto grupos, organizações e até indivíduos”, escreveu Caetano.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem