Celebridades

Príncipe Harry e Meghan processam paparazzi para proteger direito à privacidade do filho

Drones e helicópteros entraram no espaço aéreo acima da residência do casal

Príncipe Harry e Meghan Markle posam nos jardins do Palácio de Kensington
Príncipe Harry e Meghan Markle posam nos jardins do Palácio de Kensington - Daniel Leal-Olivas-20.abr.2020/AFP
Aakriti Bhalla Lisa Richwine
Bengaluru e Los Angeles

O príncipe Harry, 35, e a mulher, Meghan Markle, 38, entraram com processo na Justiça da Califórnia nesta quinta-feira (23) contra paparazzi, que não foram identificados, por supostamente terem tirado fotos consideradas "ilegais" do filho do casal, Archie.

O processo, aberto na Corte Superior do Estado da Califórnia, no Condado de Los Angeles, citou "intrusões em série" de privacidade do filho de 14 meses do casal, e serviu como uma medida para protegê-lo do "frenesi fabricado".

"O duque e a duquesa de Sussex estão entrando com essa ação para proteger o direito de privacidade do filho pequeno em sua casa, sem a intrusão de fotógrafos, e para impedir aqueles que buscam lucrar com essas ações ilegais", afirmou o advogado do casal, em um comunicado.

O processo também alegou que drones e helicópteros entraram no espaço aéreo acima da residência deles. O casal não visa "nenhum tratamento especial" e só busca o direito de ser deixado em paz na privacidade de sua casa, conforme garantido pelas leis da Califórnia, de acordo com o processo.

A família está morando em Los Angeles, depois que o casal deixou as funções da realeza no final de março para desenvolver novas carreiras. Eles se mudaram do Reino Unido após sofrerem intensa cobertura da mídia sobre sua vida privada.

Em abril, o duque e a duquesa de Sussex disseram aos maiores tabloides britânicos, incluindo The Sun e Daily Mail, que haveria um "compromisso zero" com eles no futuro por causa de sua cobertura falsa e invasiva.

Reuters
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem