Celebridades

Mulher de Nick Cordero diz que ator tem noite difícil por causa do coronavírus

Em abril, artista teve perna amputada por complicações provocadas pela doença

Nick Cordero com a mulher Amanda Kloots e o filho do casal, Elvis
Nick Cordero com a mulher Amanda Kloots e o filho do casal, Elvis - Instagram/nickcordero1
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Amanda Kloots, mulher do ator da Broadway Nick Cordero, 41, disse que o nível de oxigênio do marido caiu e que ele teve uma noite difícil no Hospital Cedars-Sinai, em Los Angeles, onde ele está internado após ter contraído o novo coronavírus. Em abril, o artista, também conhecido por papéis na TV americana como no seriado Law & Order, teve a perna direita amputada por causa de complicações causadas durante o tratamento da Covid-19.

“Ei pessoal, uma rápida atualização sobre Nick: ele teve uma noite um pouco difícil. Seus níveis de oxigênio caíram, mas [os médicos] o recuperaram imediatamente”, disse Amanda no Stories do seu Instagram, na noite desta terça-feira (5).

Após o susto, ela completou que Cordero voltou a ficar estável. "Dedos cruzados para um dia bom e a possibilidade de ele acordar", disse. O ator foi submetido a uma traqueostomia no último domingo (3), procedimento que é normalmente feito para facilitar a entrada de ar nos pulmões.

O artista está na UTI desde o dia 1º de abril, conforme informou sua mulher em outra postagem. À época, ela e o marido desconfiavam que o ator havia sido diagonosticado erroneamente com pneumonia, o que se confirmou quando ele testou positivo para o covid-19.

"Meu marido está lutando como um campeão, mas isso é sério. Por favor, fiquem em casa todos. Obrigado a todos que nos ajudaram até agora, sabem quem são e são todos anjos", postou a dançarina, com quem Cordero se casou em setembro de 2017. O casal tem um filho, Elvis, de 10 meses.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Mais lidas