Celebridades

Jeremy Renner acusa ex-mulher de se apropriar de R$ 286 mil do fundo da filha do casal

Ator de 'Vingadores' e Sonni Pacheco travam batalha judicial

Jeremy Renner - AFP
São Paulo

Jeremy Renner, 49, que dá vida ao personagem Gavião Arqueiro no filme “Vingadores”, acusa sua ex-mulher, Sonni Pacheco, de se apropriar indevidamente de quase US$ 50 mil (cerca de R$ 286 mil) do fundo fiduciário da filha do casal de sete anos para uso pessoal. As informações são da revista People, que afirma ter tido acesso a documentos judiciais sobre o caso.

Segundo a revista, em um email datado de 23 de abril de 2019 e enviado para Jeffrey Jacobs, empresário de Renner, Pacheco teria admitido a transferência de dinheiro do fundo da filha para a sua conta pessoal, alegando que a medida foi necessária para que ela pudesse comprar presentes de Natal e itens da festa de aniversário da menina. "Depois de todas as minhas economias terem sido gastas em advogados de custódia infantil", afirma ela no email, de acordo com a People.

Pacheco teria realizado outra transferência no mesmo mês de US$ 10.701 mil (R$ 61 mil) e usado o dinheiro para pagar impostos, já que teria afirmado que suas economias foram gastas com advogados no processo pela guarda da filha.

À revista People, Pacheco respondeu que está cansada de ser "continuamente intimidada" e ter seu nome difamado. "Qualquer um que é pai ou mãe sabe que a coisa mais importante no mundo é a saúde e a segurança de seus filhos", disse ela. "Ao longo dos anos, é difícil compreender o que vi e o que as pessoas me disseram que viram em relação às ações perturbadoras de Jeremy enquanto nossa filha está sob seus cuidados", disse.

Por conta disso, ela afirma que teve que pedir apoio jurídico. "É difícil para mim ficar calada porque, depois de todo esse tempo, dinheiro e energia gastos colocando medidas de segurança para manter nossa filha em segurança, mais uma vez sob os cuidados de Jeremy, essas medidas ainda estão sendo violadas a partir de hoje", completou.

Em setembro de 2019, Pacheco entrou na justiça com um pedido para ter a guarda exclusiva da filha e para que as visitas de Renner sejam monitoradas.

Procurado pela revista, o ator não se manifestou. Nos documentos, ele acusa a ex-mulher de outras duas transferências do fundo da filha para a sua conta pessoal, em agosto e setembro 2019, uma de US$ 20 mil (R$ 114 mil) e outra de US$ 12 mil (R$ 68 mil), que teriam sido usadas por ela para pagar advogados.

Segundo a People, Renner e Pacheco chegaram a um acordo sobre a pensão alimentícia da filha em abril de 2019. O ator concordou em depositar no fundo fiduciário da filha valores referentes somente a despesas de educação (mensalidade, professores, livros e uniformes, atividades extracurriculares, acampamento, cursos) e gastos médicos e odontológicos da menina.

Os pagamentos não podem exceder o valor anual de US$ 200 mil (R$ 1,1 milhão). Acima disso, o dinheiro deve ficar guardado no fundo e só pode estar disponível para a filha quando ela completar 27 anos.

Pacheco e Renner se casaram em 2014, e anunciaram o fim do relacionamento no mesmo ano. A separação foi bem tumultuada. Pacheco chegou a dizer que Renner ameaçou matá-la, segundo revelou o TMZ em outubro de 2019. A atriz também afirmou que Renner uma vez enfiou uma arma na boca e atirou no teto enquanto a filha estava em seu quarto, além de ter usado drogas e deixado cocaína no balcão do banheiro, onde a filha poderia alcançá-la.

Na época, o advogado de Renner disse à People que a preocupação do ator sempre foi com o bem-estar da filha. "É uma questão que o tribunal decide. É importante observar que as dramatizações feitas na declaração de Sonni são unilaterais e feitas com um objetivo específico em mente".

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem