Celebridades

Taís Araújo diz ter esperanças de que a sociedade melhore ao fim da pandemia

Atriz conta que percebeu a importância do companheirismo

A atriz Taís Araújo - João Cotta /Globo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A atriz Taís Araújo, 41, está em casa, na quarentena, respeitando o isolamento social orientado pelos órgãos de saúde.

E em entrevista à revista L’officiel, contou que tem aprendido a valorizar mais o companheirismo em tempos de pandemia pelo novo coronavírus.

”Tenho aprendido o quanto a gente não precisa de muita coisa para viver. E estou me certificando de o quanto o outro é importante e fundamental para a nossa sobrevivência, do quanto a sociedade funciona como um elo”, disse.

Ela também revela na entrevista que tem esperanças de que a sociedade evolua depois que tudo isso passar. Para ela, é possível que todos tomem consciência sobre o que de fato importa no mundo.

“Eu acho que a gente vai mesmo se organizar com a simplicidade e entender que um está ligado ao outro. É um olhar otimista que eu tenho para o final disso tudo. Triste ter que perder tantas vidas para isso, mas espero que nos tornemos uma sociedade mais fraterna e igualitária”, revelou.

Em março, a atriz usou suas rede sociais para comentar um pouco de sua rotina durante o isolamento que tem feito com a família para evitar a disseminação do novo coronavírus. Alguns internautas, no entanto, criticaram suas mensagens.

“Para uma pessoa mega privilegiada que nunca precisou fazer serviços de casa, descobrir que manda bem na faxina (...) e ainda forma uma bela dupla de donos de casa com o companheiro, é o coronavírus abalando as estruturas”, disse ela.

Na ocasião, alguns seguidores a criticaram por teoricamente achar que mereceria mérito por limpar a própria casa e pelo fato de ela ter uma boa condição de vida enquanto outros não têm.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem