Celebridades

Mendigata tem carro roubado e calcula prejuízo de R$ 200 mil: 'Revoltada'

Ela afirma que foi vítima de golpe enquanto curtia Carnaval de rua de São Paulo

Fernanda Lacerda, a Mendigata, posa para foto
Fernanda Lacerda, a Mendigata - Reprodução
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Felipe Pinheiro
São Paulo

Fernanda Lacerda, que ficou famosa como a Mendigata do programa Pânico, está indignada após afirmar que foi vítima de um golpe enquanto curtia o Carnaval de rua de São Paulo no último domingo (16).

Em entrevista à reportagem, ela conta que deixou seu carro, uma Land Rover Discovery, em um estacionamento e quando voltou ao estabelecimento o veículo já não estava mais lá. Mendigata diz que a polícia localizou o carro no dia seguinte, mas calcula que o prejuízo com os itens de valor que foram furtados pode passar de R$ 200 mil.

"Com essa bagunça de Carnaval temos medo de deixar o carro na rua. Não queria ter deixado a chave porque tinham coisas de valor dentro do carro, mas como insistiram eu deixei", afirma.

Fernanda, que pulou Carnaval na avenida Brigadeiro Faria Lima, voltou para o estacionamento após cerca de quatro horas. Ela conta que outras pessoas também tiveram seus carros roubados e que no mesmo dia registrou o boletim de ocorrência em uma delegacia de Pinheiros. 

A influenciadora digital afirma que somente no dia seguinte, ao entrar em contato com a rede de estacionamentos, descobriu que havia caído no golpe de uma quadrilha. 

"A administração falou que eles não trabalhavam aos domingos e que isso já aconteceu outras vezes, que entram no estacionamento e dão esse golpe. Essa quadrilha age fingindo ser de manobristas", diz. 

Segundo Fernanda, foram roubados itens dela como joias, um megahair e roupas de marca. "Eram roupas caríssimas. Só uma jaqueta da Gucci vale 9.000 euros [equivalente a cerca de R$ 42.458]. Estou com com meu advogado para contabilizar o valor de tudo e vou entrar com uma ação contra essa rede de estacionamentos. Eles precisam se responsabilizar. Vou resolver esse caso na Justiça", diz.

"Fico revoltada porque vivemos num lugar em que temos que agradecer por não ter acontecido o pior. Uma situação que era para ser de alegria, de diversão, e se aproveitam das pessoas. É um absurdo", conclui.

UOL
Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem