Celebridades

Johnny Depp não apresenta provas, e processo contra a ex Amber Heard é adiado em seis meses

Atriz diz que ele usava drogas e era agressivo, e ele nega

Johnny Depp e sua ex-mulher, Amber Heard - Suzanne Plunkett/Reuters
São Paulo

O processo que o ator Johnny Depp, 56, move contra a sua ex-mulher, a atriz norte-americana  Amber Heard, 33, foi adiado em cerca de seis meses, de acordo com o Yahoo Entertainment.

O ator acusa a ex de difamação por conta das acusações que ela fez contra ele em 2016 e pede quase R$ 190 milhões. Na época do divórcio, ela disse que Depp usava drogas e se tornava agressivo. Amber dizia que ele se transformava e que ela deveria se preocupar. Ela também o acusa de agredi-la verbal e fisicamente.

Depois que Depp entrou com o processo por difamação, ao negar tudo o que foi dito, Amber pediu que a Justiça solicitasse documentos que comprovassem que ele não usava drogas.

E Depp não os apresentou. Justamente por conta disso que o processo, que deveria começar em 3 de fevereiro do ano que vem, foi transferido para o fim de agosto.

Johnny Depp, aliás, está solteiro novamente após a dançarina Polina Glen, 24, pôr fim ao namoro de pouco menos de um ano do casal. Um dos fatores que levaram a bailarina russa a tal decisão é que ela considerava a atenção em torno do astro e da relação de ambos assustadora.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem