Celebridades

Fãs de Taylor Swift ameaçam empresário de morte após desavenças entre eles sobre músicas

Cantora fez desabafo nas redes sociais, e seguidores atacaram empresário

A cantora Taylor Swift - REUTERS
Jill Serjeant

Scooter Braun, um executivo da música, disse nesta sexta-feira (22) que sua família recebeu “inúmeras ameaças de morte” por causa de uma briga com a cantora Taylor Swift, 29, e apelou para que eles fizessem as pazes.

Tudo começou por conta de uma declaração dada pela cantora, de que sua antiga gravadora, cujo dono é Braun, havia recusado a permissão para Taylor apresentar seus antigos sucessos no American Music Awards (AMA), no domingo (24).

Com isso, ela foi até sua rede social e pediu aos mais de 120 milhões de seguidores que deixassem Braun e o fundador da gravadora Big Machine, Scott Borchetta, “saberem como ela se sentia sobre isso”. A declaração inflamou os fãs, que começaram a ameaçar o empresário.

Em um post no Instagram endereçado à Swift, Braun escreveu que desde a fala dela “houve inúmeras ameaças de morte contra a família”. Ele anexou uma ameaça feita no Twitter.

Ele disse ainda que voltou para sua casa, em Los Angeles, na quinta-feira (21), “para descobrir que a esposa havia recebido um telefonema ameaçando a segurança de nossos filhos”.

Mesmo dizendo, em resposta à cantora, que sabia que essa não era a intenção dela, Braun reforçou que “é importante que ela entenda que suas palavras têm um peso tremendo e que sua mensagem pode ser interpretada por alguns de maneiras diferentes”, escreveu ele.

Em seguida, Braun disse que ela estava autorizada a cantar qualquer música que quisesse e pediu uma trégua na confusão. “Eu afirmo aqui de forma clara e pública, para que não haja mais debate ou confusão”, encerrou. Taylor não se manifestou.

Reuters
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem