Celebridades

Após ser filmado na sarjeta, Xexéu, ex-Timbalada, critica sensacionalismo

'Se eu estivesse precisando de tratamento, eu já teria feito'

xexéu em foto de revéillon
Xexéu, ex-vocalista do Timbalada, foi encontrado nas ruas de Salvador - Instagram/xexeu_oficial
São Paulo

O cantor Xexéu, que foi líder do grupo Timbalada, teve um vídeo divulgado em que ele aparece sentado na sarjeta em uma rua de Salvador. Na imagem, ele parece debilitado. Em nota divulgada pela colunista Fábia Oliveira, do jornal O Dia, ele estaria pedindo ajuda nas ruas.

Xexéu ficou famoso nos anos 1990 à frente do grupo Timbalada, principalmente pela música "Beija Flor". 

Com a divulgação do vídeo, logo os fãs de Xexéu acreditaram que ele sofria uma recaída, já que é conhecido que o artista enfrentou problemas com drogas há anos. No entanto, Xexéu deu entrevista ao site BNews negando todos esses fatos e criticando a forma como a sua imagem viralizou na internet.

"Não vou comentar sobre isso porque foi muito antiético pra mim, que ando em todo tipo de favela. Eu sou apaixonado pelo Nordeste de Amaralina, por esse bairro. Eu fico muito chateado com as pessoas que gostam de viralizar. Essas pessoas não sabem que Xexéu começou no samba de roda, que Xexéu lutou pra caramba pra ser cantor. Xexéu faz dez coisas boas, quando faz uma ruim ela viraliza. As autoridades devem criar uma lei contra esses crimes cibernéticos", afirmou o artista.

​Em 2015, o apresentador Geraldo Luis, do programa Domingo Show, fez uma reportagem relatando que o cantor havia sido resgatado das ruas por causa das drogas e tentava se restabelecer em Fortaleza. Nela, a produtora musical Fátima Lima narrou que ele teve muito dinheiro, mas acabou perdendo tudo para o vício em cocaína e vivia apenas de alguns direitos autorais. 

Nessa mesma entrevista, o músico diz que passou sete anos limpo, mas ainda teve que passar por tratamentos por ter ficado hipertenso, com síndrome do pânico, distúrbio de sono e diabético. 

Ao BNews, Xexéu disse que não teve recaída. "Se eu tivesse usando drogas, eu não falaria essas palavras que estou falando hoje. Não [preciso de tratamento], porque eu não estou dependente da droga. Se eu estivesse precisando de tratamento, eu já teria feito porque não sou maluco".

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem