Celebridades

Kendall Jenner e Emily Ratajkowski são processadas por 'festival fake'

Modelos fizeram campanha para o Fyre Festival, que acabou em desastre

Kendall Jenner no 91º Academy Awards
Kendall Jenner no 91º Academy Awards - Danny Moloshok/Reuters
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Não apenas os visitantes do Fyre Festival sofreram com as consequências do evento, mas os artistas que ligaram seu nome a ele também. 

As modelos Kendall Jenner, 23, e Emily Ratajkowski, 28, dentro outros artistas, estão sendo oficialmente processados por conta do evento polêmico que prometeu uma experiência, e acabou entregando outra, segundo documentos obtidos pelo programa norte-americano E! News.

O processo afirma que Jenner recebeu mais de R$ 1 milhão para fazer uma publicação em suas redes sociais fazendo referência à G.O.O.D . Music Family, o que "fez com que o público e as pessoas que iam comprar os ingressos acreditassem" que Kanye West se apresentaria no evento.

Além das duas modelos, são citados no processo o grupo Migos, Blink 182, Lily Yachty e Pusha T.

ENTENDA O CASO

O Fyre Festival foi um festival de música em 2017 promovido por celebridades, como as modelos Kendall Jenner, Bella Hadid, Alessandra Ambrósio e Hailey Baldwin, anunciado como uma festa de alto padrão que seria realizada durante dois fins de semana em uma ilha paradisíaca nas Bahamas.

Com ingressos até US$ 100 mil, prometiam acomodações de luxo e "o melhor da comida, da arte, da música e das aventuras". Entre as atrações musicais estavam os grupos Blink-182 e Major Lazer.

No entanto, ao chegar na ilha, os participantes encontraram tendas de acampamento com colchões encharcado pela chuva, refeições que se limitavam a sanduíches com duas fatias de queijo, alface e tomate, falta de iluminação e muito descaso. Os shows de música sequer chegaram a acontecer.

O caso virou documentário na Netflix, e o organizador Billy McFarland acabou se livrando da prisão. O rapper Ja Rule, apresentado como co-organizador do evento, também não foi preso ou acusado de conexão com a fraude.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem