Celebridades

Maju Coutinho perde cachorra vítima de infarto: 'Cruel vida entregou Lola à morte'

Apresentadora soube da notícia quando voltava de uma viagem

Maju Coutinho estreia na bancada do Jornal Nacional
Maju Coutinho estreia na bancada do Jornal Nacional - Reprodução
São Paulo

A apresentadora Maju Coutinho, 40, voltava de uma viagem à trabalho quando soube da morte de sua cadelinha, de infarto. Bastante chateada, ela fez uma declaração ao animal nas redes sociais e contou que viveu momentos que foram da euforia à tristeza.

“A adorável e cruel Vida. A adorável vida me proporcionou algo único: acompanhar um eclipse total do Sol, no melhor lugar do mundo, e poder contar essa experiência para milhões de brasileiros. A cruel vida entregou minha Lola para morte. Na madrugada em que eu voltava do Chile, Lola infartava. Pisei no Brasil, recebi a notícia e todos os clichês se materializaram em mim: o peito apertou, a lágrima jorrou, a alma se partiu. Mas ‘mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma, até quando o corpo pede um pouco mais de alma, a vida não para’”, escreveu, citando um trecho da música “A Vida Não Para”, de Lenine.

Muitos amigos e famosos deram a ela força. Dentre elas Astrid Fontenelle. “Virou estrelinha”, comentou na foto em que a cadelinha aparecia de laço rosa. Companheira de Globo, Christiane Pelajo se solidarizou. “Sinto muito, querida Maju! Sei como é essa dor! Fica forte porque a Lola está ótima, descansando. E não quer ver as pessoas que ela ama tristes”.

A cantora Paula Lima foi outra pessoa que mandou energias boas. “Maju amada. Sinto muito! Muito amor. E Lola virou uma estrela muito especial! Um abraço apertado amiga”.

Maju também compartilhou um texto escrito pelo pai dela ao saber da morte de Lola. “O descanso de Lola. Lola partiu, foi, não é mais. Ou melhor, ainda é, e sempre será. Será, sempre, memória de todos e de todas que foram acarinhados por ela e que a acarinharam. Lola era parte da família. Não era gente,mas para Maria Júlia, Agostinho [marido], demais familiares e amigos não havia no mundo outra cadela tão peluda, grandalhona e gentil”.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias