Celebridades

Cardi B. será indiciada por 14 acusações após briga com garçonetes em clube de striptease nos EUA

Confusão teria acontecido em agosto de 2018 na boate Angles Strip Club

Cardi B. chega para audiência no tribunal no Queens
Cardi B. chega para audiência no tribunal no Queens - Johannes Eisele-21.jun.2019/AFP
São Paulo

Cardi B., cujo nome verdadeiro é  Belcalis Almánzar, foi indiciada por um júri do Queens, nesta sexta-feira (21), por crimes ligados à uma briga dentro de um clube de striptease, no ano passado, em Nova York.  De acordo com a CNN, as acusações vão permanecer sob sigilo até o dia 25 de junho, quando a cantora vai se apresentar para uma audiência no tribunal criminal.

Ao jornal USA Today, a porta-voz do Gabinete do Procurador Distrital do Queens, Ann Marie Turton, afirmou que além das duas contravenções, assalto e imprudência, há outras 12 em conexão com a confusão. Entre as quais conspiração e assédio por sua parte na briga. "Os detalhes da acusação serão revelados quando a rapper for denunciada no tribunal na próxima terça", disse Turton.

Em outubro de 2018, Cardi B. foi presa por supostamente por ter mandado seguranças e amigos seus agredirem duas garçonetes na boate Angles Strip Club, em agosto. As mulheres sofreram agressões físicas, como socos, puxões de cabelo e pancadas de cadeiras e garrafas. 

A briga, segundo o canal de notícias, teria acontecido porque a cantora suspeitou que uma das garçonetes teria tido um relacionamento com o seu marido, Offset. O relatório da polícia, segundo USA Today, aponta que houve uma briga na qual cadeiras e garrafas foram jogadas contra as garçonetes, atingindo até o barman. 

Em dezembro do ano passado, Scott Dunn, juiz do tribunal criminal de Queens, ordenou que Cardi B. mantivesse distância das duas garçonetes, e permitiu que a estrela de hip-hop permanece em liberdade a sem precisar pagar fiança. O juiz havia ameaçado prendê-la por não comparecer à corte.

Inicialmente Cardi B. foi acusada de duas contravenções, assalto e imprudência, mas, em abril deste ano, ela rejeitou o acordo judicial. Com isso, a rapper de 26 anos enfrentará agora ao todo 14 acusações. A reportagem da CNN entrou em contato com os advogados da cantora, mas não obteve retorno. 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem