Celebridades

Projota afirma que com Haddad será difícil, mas com Bolsonaro só Deus sabe o que acontecerá

'Enquanto o povo está dividido assim, viramos massa de manobra'

O rapper Projota
O rapper Projota - Pedro Dimitrow
Beatriz Vilanova
São Paulo

Projota, 32, afirmou que não se sente otimista sobre as eleições que acontecerão neste domingo (28). Em entrevista ao F5, o cantor descreveu o atual cenário político como “sombrio, nebuloso e de crise”.

"Se Haddad [Fernando Haddad (PT)] ganhar, vai ser difícil. Se Bolsonaro [Jair Bolsonaro (PSL)] ganhar, só Deus sabe o que vai acontecer com esse país”, afirmou o cantor. Para ele, independentemente de quem vença a corrida eleitoral, será difícil governar o país por conta da situação em que ele está.

A distância entre os candidatos a presidente Bolsonaro e Haddad caiu de 18 para 12 pontos em uma semana, aponta pesquisa do Datafolha, divulgada nesta quinta (25). A três dias do segundo turno, o deputado tem 56% dos votos válidos, contra 44% do ex-prefeito de São Paulo. No levantamento passado, apurado em 17 e 18 de outubro, a diferença era de 59% a 41%.

O rapper também disse que a polarização política no Brasil é o que o tem deixado mais preocupado, e que tem visto cada vez mais familiares e amigos deixando de se falar por conta das eleições.

“Enquanto o povo está dividido assim, nós viramos massa de manobra, independente de quem estiver lá [na Presidência]. Porque eu não confio em ninguém, em nenhum dos que estão lá. Não acredito que exista um salvador da pátria. Preferiria que tivesse ficado alguém no meio do caminho, não os dois extremos, como a gente tem hoje.”

Afirmou ainda que 2019 será um ano difícil e complicado, visto que metade da população estará contra o presidente escolhido. "Se a gente está com medo hoje, se está achando que agora está difícil, ano que vem vai ser ainda mais difícil do que esse", concluiu.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias